Francisco Marto

Uma das três crianças videntes de Fátima, Francisco Marto nasceu em 1908. É um dos três "Pastorinhos de Fátima" que viram Nossa Senhora entre 13 de maio e 13 de outubro de 1917, na localidade de Fátima, de onde era natural. Era irmão de Jacinta e primo de Lúcia. Francisco era um jovem tímido e analfabeto. De existência simples e entregue ao pastoreio nas colinas e olivais de Fátima e arredores, descendia de uma família camponesa humilde, embora sem necessidades de maior. Era o penúltimo de sete irmãos e dois meios-irmãos.
Francisco foi dos três pastorinhos aquele que apenas viu, sem ouvir ou falar com a Senhora. Andava com Lúcia e Jacinta a pastorear ovelhas quando se sucederam as aparições de Nossa Senhora. Desde então, desde aquele 13 de maio de 1917, na Cova da Iria, não mais a sua vida simples foi a mesma, embora a sua vivência espiritual do fenómeno tenha sido a mais simples. Foi, com Jacinta e Lúcia, obrigado pelas autoridades civis a prestar depoimentos em Ourém entre 13 e 16 de agosto de 1917, o que fez com que a apenas 19 desse mês pudesse ter visto novamente a Senhora, então nos Valinhos. Defende-se que terá também sofrido torturas e violência psicológica no sentido de desmentir e negar as aparições, que sempre afirmou e jurou terem sucedido. Presenciou também o "milagre do Sol" de 13 de outubro, pedido por sua prima a Nossa Senhora em 13 de julho. Com ele assistiram 60 pessoas à segunda aparição (13 de junho), 5 000 à terceira (13 de julho) e entre 70 e 100 000 na última (13 de outubro).
Francisco viria a falecer vítima de pneumonia em 4 de abril de 1919, ainda sem ter completado 11 anos. O seu corpo repousa na Basílica de Fátima desde 1951, dois anos depois de se ter aberto o seu processo de beatificação, concluído a 13 de maio de 2000, em cerimónia presidida pelo papa João Paulo II naquele santuário mariano.
Como referenciar: Francisco Marto in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-19 08:50:04]. Disponível na Internet: