François Marie Raoult

François Marie Raoult, químico e físico francês, nasceu em Fournes-en-Veppes, Lilla, em França, a 10 de maio de 1830, e faleceu em Grenoble, a 1 de abril de 1901.
De origem modesta e não obstante o desencorajamento familiar para seguir a sua paixão pela ciência, Raoult aos 23 anos de idade tornou-se professor do Liceu de Rheims. Em 1867 passou a assistente e, três anos depois, a professor catedrático de Química na Universidade de Grenoble, cargo esse que exerceu até ao fim dos seus dias.
Raoult conseguiu, com muito sacrifício em termos financeiros, doutorar-se em Paris, em 1863, com uma tese sobre a força eletromotriz das células galvânicas, onde traçava comparações entre essa força e os calores das reações químicas, para estabelecer uma regra sobre as afinidades químicas. Em 1878, Raoult publicou o seu primeiro trabalho sobre o efeito criogénico. Inicia assim, as suas pesquisas sobre o comportamento das soluções, que o levaram às leis da tonometria, ebuliometria e criometria. Na época, os efeitos coligativos foram muito importantes para a determinação das massas moleculares das substâncias.
Em 1884, Raoult reconheceu que as suas leis não se aplicavam às soluções de eletrólitos, mas estas leis foram completadas com a "teoria da dissociação iónica" formulada pelo químico e físico sueco Svante August Arrhenius (1859-1927).
Em 1887, formula a lei que possui o seu nome, lei de Raout, que exprime de forma exata a variação da pressão de vapor que um solvente experimenta quando nele se dissolve um produto não volátil.
Juntamente com o químico alemão Wilhelm Ostwald (1853-1932), o químico-físico Svante August Arrhenius (1859-1927) e o químico holandês Van't Hoff (1852-1911), Raoult foi considerado como um dos fundadores da física-química.
Como referenciar: François Marie Raoult in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-17 02:03:42]. Disponível na Internet: