Frei Diogo de Murça

Diogo Guedes (ou Pinto) entrou em 1513 para o Mosteiro de Penha Longa em Sintra, pertencente à Ordem de S. Jerónimo. Aí adotou o nome de Diogo de Murça.
Em 1517, esteve em Paris no Colégio de Montaigu. Posteriormente seguiu para Lovaina, onde se doutorou em Teologia no ano de 1533. Em 1535 encontrava-se em Portugal com o propósito de fazer um colégio na Penha Longa onde pudesse aplicar o método de estudo que observou em Lovaina. Teve um papel de grande relevo na Universidade de Coimbra, onde veio a ocupar a Reitoria em 1543, nomeadamente através dos atos de unificação da Universidade e da sua concentração num mesmo local sob a dependência direta do reitor.
Propôs ao rei D. João III a reforma dos estudos menores, conseguindo que o soberano fundasse o Colégio das Artes em Coimbra.
Depositário de uma grande cultura humanística, proporcionou à Universidade portuguesa a sua época de maior esplendor. Passou os seus últimos anos de vida no mosteiro beneditino de Refojos de Basto, onde morreu em 1561.
Como referenciar: Frei Diogo de Murça in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-19 07:23:30]. Disponível na Internet: