Gangs de Nova Iorque

Drama épico realizado em 2002 por Martin Scorsese, de título original Gangs of New York, coproduzido pelos EUA, Alemanha, Itália, Reino Unido e Holanda. Contou com as participações de Daniel Day-Lewis, Leonardo DiCaprio, Cameron Diaz, Jim Broadbent, Liam Neeson e Brendan Gleeson. O argumento - embora original, inspirou-se num livro com o mesmo título da autoria de Herbert Asbury - foi escrito por Jay Cocks, Steven Zaillian e Kenneth Lonergan.
Este era um projeto que Scorsese acalentava desde 1977, quando o anunciou nas páginas da Variety. Passado no período que vai de 1846 a 1863, a história conta o surgimento dos gangs na recém-nascida cidade de Nova Iorque. Um caótico canto da cidade conhecido como "Five Points" é o local de chegada de Amsterdam Vallon (Leonardo DiCaprio), órfão do Padre Vallon (Liam Neeson) - que tinha sido o chefe do gang de imigrantes irlandeses conhecido como "Dead Rabbits", que disputava a supremacia em "Five Points". Depois de 16 anos de internato, Amsterdam regressa ao local onde o seu pai foi morto para procurar o assassino. O seu alvo é William Cutting (Daniel Day-Lewis), líder dos "Native Americans" (gang de ingleses/holandeses que reclamavam ser os nativos da cidade), conhecido por Bill "The Butcher", que se tornara cruel líder da vizinhança destilando ódio pelos imigrantes que iam chegando à cidade. O plano de Amsterdam é claro: tentar penetrar na intimidade de Bill "The Butcher", um mundo feito de iguais doses de lealdade e crueldade, para no momento certo vingar a morte do pai. Todavia, à medida que se aproxima de Bill, vai-se enredando numa teia de duplicidade: por um lado, esconde o segredo que o move; por outro, vai-se transformando numa espécie de filho adotivo do terrível Bill. Ao mesmo tempo, conhece Jenny Everdeane (Cameron Diaz), uma carteirista cuja independência o fascina e por quem se vai apaixonar. Assim que emergem ligações entre ela e Bill no passado, o relacionamento entre os três intensifica-se. A luta íntima de Amsterdam pela honra do pai, pela liberdade e pela mulher que ama vai, no entanto, coincidir com um momento capital da história coletiva: os tumultos que levaram à Guerra Civil Americana em 1863. Os levantamentos levados a cabo por novos americanos como Amsterdam iriam ter repercussões que se espalhariam por toda a cidade e país, mostrando o espírito tenaz de um país jovem. Scorsese criou um impressionante espetáculo visual - alicerçado na soberba fotografia de Michael Ballhaus - traduzido na dinâmica retratista de um microcosmos caótico que atinge o paroxismo da violência. O realizador enceta um portentoso trabalho de arqueologia do crime, gerando uma espécie de "prequela" dos seus famosos filmes de gangsters, com Mean Streets (Os Cavaleiros do Asfalto, 1973) e Goodfellas (Tudo Bons Rapazes, 1990) à cabeça.
Produzido luxuosamente pela Miramax - naquela que foi a sua mais cara produção de sempre - e filmado nos estúdios romanos da Cinecittà, que reconstruíram uma credível Nova Iorque do século XIX, Gangs de Nova Iorque teve vários percalços antes da estreia. Por ultrapassar o orçamento previsto e por alegados desentendimentos entre realizador e produtor relativamente à metragem final, teve sucessivos adiamentos do seu lançamento (desde 21 de dezembro de 2001 até 1 de julho de 2003).
Curiosamente, Daniel Day-Lewis, que tem uma extraordinária interpretação, levou tão a sério o seu papel que se vestia e falava como Bill "The Butcher" nos intervalos das filmagens. O filme teve 10 nomeações para os Óscares, mas não conseguiu vencer nenhum: Melhor Filme, Realizador, Argumento Original, Ator Principal (Daniel Day-Lewis), Fotografia, Montagem, Direção Artística, Guarda-roupa, Som e Canção Original ("The Hands That Built America" dos U2). Venceria, todavia, os Globos de Ouro para Melhor Realizador e Canção Original.
Como referenciar: Gangs de Nova Iorque in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-19 17:16:55]. Disponível na Internet: