gás de gasogénio

O gasogénio, também designado por gás de gerador, consiste num gás produzido por gaseificação de combustíveis sólidos, como por exemplo o coque e a antracite.
Fazendo-se passar ar através do combustível incandescente, queima-se primeiro o coque até se ter consumido todo o oxigénio. Na presença do restante carvão, o dióxido de carbono e o eventual vapor de água transformam-se em monóxido de carbono e hidrogénio.
O gasogénio, sem adição de vapor de água, possui um poder calorífico de 5040 kJ/m3 e contém 29% de monóxido de carbono, 11% de hidrogénio, 5% de dióxido de carbono e cerca de 55% de azoto.
Fazendo passar uma corrente de vapor de água (gás de água), o conteúdo em monóxido de carbono aumenta para cerca de 40% e o de hidrogénio para cerca de 50%, sendo os restantes 10% componentes incombustíveis, dióxido de carbono e azoto.
Efetuando a passagem de uma corrente de vapor de água e ar, obtém-se o gás misto, cujas propriedades são intermédias entre as gasogénio e as do gás de água.
O gasogénio tem como aplicação principal o uso industrial, como gás combustível em fornos de fundição, de recozimento, de têmpera, de esmaltagem, entre outros. Nos fornos de têmpera, o conteúdo em hidrogénio deve ser o mais baixo possível.
É também usado na síntese do amoníaco, do metano, do álcool metílico e da gasolina.
Como referenciar: gás de gasogénio in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-03-02 03:25:21]. Disponível na Internet: