General Motors

A construtora de automóveis norte-americana General Motors (GM) foi fundada em setembro de 1908, sendo na altura a empresa proprietária da Buick. No primeiro ano de laboração foram produzidas 25 mil viaturas.
No ano seguinte, a GM adquiriu a marca Oldsmobile, a que se seguiu a Cadillac, a Pontiac e a Chevrolet, entre outras, totalizando mais de 30 empresas até 1930.
Entretanto, durante a Primeira Guerra Mundial, a GM construiu material rodoviário para o exército. Em 1923, Alfred Sloan Jr assumiu a presidência do grupo, na altura responsável pela comercialização de dez por cento do mercado norte-americano. Quando saiu, em 1956, a GM era já o maior construtor automóvel do mundo.
A partir da década de 20, a GM comprou a empresa de autocarros Yellow Coach, os populares autocarros amarelos norte-americanos, tendo contribuído para substituir os carros elétricos por estas viaturas. A empresa também se dedicou à construção de locomotivas e comboios.
Ainda neste período, durante as década de 20 e 30, a GM expandiu-se para a Europa, nomeadamente para a Alemanha, o que lhe valeu acusações, após o final da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), de ter fabricado camiões que contribuíram para a formação da frota militar das forças nazis. O gerente da empresa na época defendeu-se argumentando que a Alemanha era um cliente bastante lucrativo antes do eclodir do conflito. No entanto, os negócios acabaram depois de 1941, ano em que os Estados Unidos da América entraram em guerra com a Alemanha. A GM nos Estados Unidos da América converteu quase todas as suas fábricas para a construção de material militar. Após o fim da guerra a GM pediu indemnizações ao governo norte-americano por causa dos estragos causados pelos bombardeamentos nas suas instalações na Alemanha.
Na década de 50, a produção automóvel regressou em força, com uma série de novos carros das diferentes marcas do grupo, melhoradas por várias inovações técnicas e de design que entretanto surgiram.
No início da década de 70, a GM lançou um ambicioso programa tendo em vista a remodelação de todos os seus modelos para que se tornassem mais económicos. Assim, os carros passaram a ser mais leves e mais pequenos, embora sem prejudicar o conforto. O programa continuou até 1985, quando ficou renovada toda a gama da GM.
Entretanto, em 1984 a GM associou-se à Toyota para produzir um pequeno carro, o Chevrolet Nova, que foi lançado no mercado em 1985. Foi aliança até então inédita entre firmas norte-americanas e japonesas.
Em 1987 concebeu um carro movido a energia solar, que se tornou o no primeiro vencedor da corrida World Solar Challenge, na Austrália.
Em 1996, a GM foi o primeiro construtor da era moderna a disponibilizar para o público um automóvel elétrico, o EV1.
Atualmente o grupo GM é dono de marcas de todo o mundo, como a Buick, Cadillac, Chevrolet, Daewoo, GMC, Holden, Hummer, Oldsmobile, Opel, Pontiac, Saturn, Saab e Vauxhall. É ainda parceira da Isuzu, Subaru, Suzuki, Lancia, Fiat, Alfa Romeo e Lada.
Todo este grupo faz com que a GM, com sede em Detroit, seja a maior construtora de automóveis do mundo, empregando mais 340 mil trabalhadores.
Como referenciar: General Motors in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-04-09 06:25:43]. Disponível na Internet: