George C. Scott

Ator norte-americano nascido a 18 de outubro de 1927, na pequena cidade de Wise, e falecido a 22 de setembro de 1999, em Westlake Village. George Campbell Scott desempenhou sobretudo papéis de personagens autoritárias e violentas. Serviu nos Marines entre 1945 e 1949, ano em que ingressou no curso de Artes Dramáticas da Universidade do Missouri. Fez teatro amador até partir para Nova Iorque em 1956, ano em que se estreou no cinema através duma figuração em Somebody Up There Likes Me (Marcado Pelo Ódio, 1956). Foi na Broadway que alcançou algum prestígio em 1957 com a recriação de Ricardo III de William Shakespeare. Regressou ao cinema, ocupando papéis secundários em The Hanging Tree (Raízes de Ouro, 1959) e Anatomy of a Murder (Anatomia Dum Crime, 1959), onde a sua incisiva representação dum advogado mereceu uma nomeação para o Óscar de Melhor Ator Secundário. Repetiu a nomeação pelo seu manager grosseiro em The Hustler (A Vida é um Jogo, 1961). Começou a ganhar fama pela sua faceta polémica. Em 1963, manteve um aceso braço de ferro com a cadeia televisiva CBS devido à sua participação na série East Side/West Side (1963) onde desempenhou o papel dum assistente social, mas as delicadas questões sociais tratadas nos episódios levou os produtores da série a censurar algumas cenas, o que motivou a fúria de Scott que abandonou o elenco. De regresso ao cinema, foi um general grotesco em Doctor Strangelove (Doutor Estranho Amor, 1964) e o patriarca Abraão em La Bibbia (A Bíblia, 1966). Mas a personagem que lhe conferiu maior notoriedade a nível internacional foi a do General norte-americano George Patton em Patton (1970). A dureza e arrogância que conferiu à sua caracterização fizeram com que, sem surpresas, fosse o vencedor do Óscar para Melhor Ator. Contudo, na noite da entrega do galardão, recusou comparecer, argumentando que a cerimónia não era mais do que um desfile de carne e que a função dum ator era representar e não competir. No ano seguinte, foi nomeado para a mesma categoria pelo seu desempenho de médico amargurado em The Hospital (Hospital, 1971). Na década de 80, foi notícia pelo elevado cachet de 100 mil dólares que recebeu por cada episódio da série televisiva Mister President (1987). Até à sua morte, trabalhou sobretudo em televisão, nomeadamente em telefilmes. É pai do ator Campbell Scott.
Como referenciar: George C. Scott in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-06-05 04:11:00]. Disponível na Internet: