Georges Dumézil

Antropólogo e filólogo francês nascido em 1898, em Paris, e falecido em 1986, na mesma cidade. Desde cedo se interessou por filologia e antropologia. Em 1924, apresentaria a sua tese de doutoramento intitulada Le Festìn d'immortalité: Étude de mythologie comparée indo-européenne, em que lança a temática que ocuparia toda a sua brilhante carreira académica: a mitologia comparada, centrando-se especialmente sobre a tradição indo-europeia (grega, italiana, celta, índica, etc.)
Nesta área do conhecimento, Dumézil alcançaria, na década de trinta e quarenta, um feito notável: a criação de uma nova abordagem na ciência da mitologia comparada, com base num quadro teórico inspirada na obra do sociólogo francês Émile Durkheim e no seu conceito fundamental de "representações coletivas" aplicado à relação entre sociedade e mitologia, bem como nos seus profundos conhecimentos de filologia comparada e na sua descoberta sobre o carácter tripartido dos sistemas sociais da maioria das sociedades indo-europeias primitivas. Dumézil promoveu, assim, num conjunto assinalável de obras, a construção de um modelo teórico de descrição da "ideologia" indo-europeia, enquanto forma de compreensão do mundo, de atribuição de sentido, de manutenção da ordem social, sendo estas, segundo Dumézil, as funções cruciais da dimensão religiosa e mitológica nas sociedades indo-europeias. Deve ainda destacar-se a importância do conceito de função na sua obra, já que desempenha um papel de charneira entre a própria ideologia e os fenómenos sociais e mitológicos àquela ligados. Simultaneamente, Georges Dumézil defende ainda que a "ideologia" em questão é característica das sociedades Indo-europeias, constituindo uma importante especificidade cultural e civilizacional.
A importância das contribuições de Dumézil para o desenvolvimento do estudo da mitologia e da religião na sociedade, campo de enorme relevância no quadro mais vasto das ciências sociais, fazem com que este pensador seja hoje um dos mais importantes e respeitados académicos do século XX. Depois de ter ensinado durante vinte anos (1948-1968) no Collège de France, uma disciplina ("Civilizações Indo-europeias") criada expressamente para si, Georges Dumézil retirou-se, tendo sido eleito para a Academia Francesa em 1978. Outras obras de Dumézil:
1929, Le problème des Centaures: Étude de mythologie comparée indo-européenne
1934, Ouranos-Varuna: comparée indo-européenne
1939, Mythes et Dieux des Germains: Essai d'intérpretation comparative
1940, Mitra-Varuna: Essai sur deux représentations indo-européennes de la souveraineté
1941, Jupiter, Mars, Quirinus: Essai sur la conception indo-européenne de la societé et sur les origines de Rome
1942, Horace et les Curiaces
1944, Naissance de Rome: Jupiter, Mars, Quirinus II
1945, Naissance d'archanges, Jupiter, Mars, Quirinus III
1948, Loki
1949, L'héritage indo-européenne à Rome
1952, Les Dieux des Indo-Européennes
1954, Rituels indo-européennes à Rome
1956, Aspects de la fonction guerrière chez les Indo-Européennes
1956, Déesses latines et mythes védiques
1958, L'idéologie tripartie des Indo-Européennes
1959, Les Dieux des Germains: Essai sur la formation de la religion scandinave
1966, Archaic Roman Religion
1968-1973, Mythe et epopée (3 vols.)
1969, From Myth to Fiction
1973, Gods of the Ancient Northmen
1978, Romans de Scythie et d'alentour
Como referenciar: Georges Dumézil in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-22 14:29:37]. Disponível na Internet: