Ginnungagap

Na mitologia escandinava, entre o gelado Nifleheim e o abrasador Muspelheim situava-se esta terra de absoluto silêncio, apenas quebrado com o surgimento de Ymir. De facto, na língua inglesa a palavra gap significa algo que está entre dois espaços.
Foi no Ginnungagap que o gelo da primeira foi derretido pelo calor da segunda, criando Ymir. Este gigante glacial, o primeiro ser vivo, foi o pai dos gigantes do Gelo.
O processo da criação deste gigante é descrito da seguinte maneira: sete rios, com o nome de Elivagar (tendo um deles o nome específico de Fjörm, rápido), foram criados no Niflheim por Hvergelmir. Estes rios foram ter ao Norte do Ginnungagap com o passar do tempo, tendo a sua água congelado. O gelo foi derretido pelo ar quente que emanava do Muspelheim, surgindo assim Ymir.
Tanto o Ginnungagap como Ymir foram no entanto criados por vontade da tríade primordial de deuses, Odin, Vili e Ve.
Como referenciar: Ginnungagap in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-05-27 09:24:13]. Disponível na Internet: