Girondinos

Fação política maioritariamente burguesa, que se posicionou contra a monarquia absoluta e o Antigo Regime em geral, surgiu durante o início da República francesa, tendo sido dinamizada por personagens como Condorcet, Gaudet, Roland, Brissot e Buzot. Derivaram do nome dos três últimos as demais cognominações dos Girondinos: "Buzotins", "Rolandistes" e "Brissotins". O nome de Girondinos proveio do facto dos membros deste grupo serem deputados da Gironda e integrarem a Assembleia Legislativa. Os Girondinos tiveram um grande poder, outorgado por Luís XVI ao formar um governo constituído por membros desta fação em 1792, e levaram ao despoletar da luta contra o Império Austríaco, entre outras medidas que tiveram consequências nefastas e provocaram motins populares. A partir da Convenção, em setembro de 1792, e sobretudo após o início do processo contra o rei (1792/1793), que os Girondinos defenderam, a luta contra o partido dos Montanheses de Robespierre torna-se acesa. Os Girondinos acabam por ser presos em 1793 (tendo-se alguns suicidado – Buzot, Roland –, outros fugido e outros ainda sido executados – Brissot, Gensonné), por decreto da Convenção e na sequência da vontade manifestada pelo Povo.
Como referenciar: Girondinos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-02-16 02:51:35]. Disponível na Internet: