Giulio Romano

Pintor e arquiteto italiano, Giulio Pippi, mais conhecido por Giulio Romano, nasceu em 1492, em Roma, e morreu em 1546, em Mântua. Foi o principal discípulo de Rafael de quem foi designado herdeiro e continuador da obra após a sua morte em 1520 . Completou diversas obras do mestre, mas produziu também nesta época pinturas originais como "Nossa Senhora e os Santos" (c. 1523), na Igreja de Santa Maria dell'Anima, em Roma, ou "A Revelação de Santo Estevão" (1523), em San Stefano, Génova, onde mostrou o desenvolvimento de um estilo pessoal pronunciador do maneirismo.
Em 1524, deixou Roma e instalou-se em Mântua, cidade que ficou marcada pela sua presença, pois Romano foi responsável pelo traçado das suas ruas, pela conceção da catedral e de um modo geral por toda a fisionomia que ainda hoje mantém.
A sua obra fundamental é o Palácio del Té (1524-1530) nesta cidade, um edifício construído em torno de um pátio quadrado cujo compartimentos são decorados com pinturas suas.
Foi nomeado o responsável pela administração da edificação de Mântua. A criação arquitetónica que desenvolveu fez desta cidade um dos primeiros focos irradiadores do estilo maneirista em Itália.
Como referenciar: Giulio Romano in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-03-18 23:46:46]. Disponível na Internet: