goodwill

Quando está em causa a avaliação do valor de uma organização, empresa ou negócio, há dois tipos fundamentais de elementos a considerar: elementos corpóreos e elementos incorpóreos.
Os elementos corpóreos correspondem genericamente aos bens, equipamentos, ferramentas e utensílios detidos pela organização, tais como imóveis, máquinas, equipamento informático, mobiliário, existências, etc. O valor destes elementos é de cálculo relativamente fácil, tendo em conta fatores como os valores de aquisição, a idade, os valores de mercado, etc.
Por seu turno, os elementos de carácter incorpóreo, por natureza de mais difícil mensuração, correspondem, entre outros, aos seguintes ativos: clientela fidelizada; know-how do pessoal da empresa; valor das marcas (valor associado ao facto de a marca ou marcas da organização serem reconhecidas pela sociedade, designadamente pelos clientes potenciais, como agradáveis e fiáveis, podendo verificar-se até fenómenos de afeto consideráveis); direitos de propriedade industrial (como patentes, marcas, logótipos, prémios, etc.); licenças e autorizações administrativas, etc. Neste contexto, pode dizer-se que existe um conjunto de valores não materiais que contribuem de forma por vezes decisiva para o valor de uma determinada organização ou negócio. O goodwill corresponde precisamente a esse excesso de valor relativamente aos ativos materiais. De referir que, muitas vezes, o valor do goodwill não está representado no balanço das organizações, embora não seja por esse facto que não é considerado em eventuais operações de compra de empresas ou negócios.
O goodwill representa, numa outra perspetiva, a capacidade de a empresa que o detém ser capaz de, no futuro, gerar um volume de lucros superior aos ganhos potenciais de investimentos alternativos feitos com o valor dos seus ativos materiais. Assim, um potencial investidor deve considerar na sua tomada de decisão essa capacidade futura de geração de lucros, em larga medida derivada da existência dos já referidos ativos incorpóreos. Tendo em conta que está em causa a previsão futura desses lucros potenciais, uma análise adequada deve naturalmente considerar a atualização para o momento da decisão desses valores.
Em oposição ao conceito de goodwill, existe também o de badwill, que traduz uma situação em que o valor efetivo de uma organização, tomando em linha de conta todos os seus elementos corpóreos e incorpóreos, é inferior ao da soma dos valores dos ativos corpóreos. Nesses casos, o impacto dos elementos incorpóreos é negativo, traduzindo uma situação em que a performance da organização a esse nível é naturalmente muito má.

Como referenciar: goodwill in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-07 19:39:46]. Disponível na Internet: