GPRS

As siglas GPRS correspondem a General Packet Radio Services, em português Serviço Geral de Pacotes por Rádio.
A discussão acerca da necessidade de um modelo de transferência de dados para GSM que se baseasse na transmissão de dados por pacotes (IP) começou em 1992-93 e em 1998 o ETSI (European Telecomunications Standards Institute), entidade reguladora europeia, concluiu os seus estudos sobre a definição das normas do novo sistema - o GPRS.
Esta tecnologia de comunicações móveis baseia-se na comutação de pacotes realizando a transmissão dos mesmos sobre a rede GSM. O sistema GPRS é também chamado GSM-IP em virtude de utilizar a tecnologia IP (Internet Protocol) para aceder diretamente aos provedores de conteúdos de Internet. O GPRS permite, assim, enviar e receber informação através do telemóvel, acedendo a uma grande diversidade de serviços online, como chats, email, páginas Web, etc., de uma forma muito rápida e eficaz.
A velocidade de ligação da tecnologia GPRS pode atingir os 115 kbps, ampliando as potencialidades da rede, melhorando o acesso WAP e aumentando, exponencialmente, a velocidade da transmissão de dados no acesso móvel à Internet.
A tecnologia GPRS é considerada uma evolução em relação ao GSM (2G - 2.a geração) porque apesar de se basear neste, vai mais além, incluindo módulos adicionais, proporcionando uma maior velocidade na transmissão de dados, fornecendo a possibilidade de estar sempre online, sem ser necessário fazer uma ligação sempre que se deseja aceder a uma página Web ou consultar o email, e tendo um custo de utilização que depende da quantidade de informação transferida e não da duração da ligação. Assim, esta tecnologia faz a ponte entre a segunda e a terceira gerações móveis, sendo normalmente considerada de 2,5G (segunda geração e meia).
Na tecnologia GPRS, o canal (slot) só é alocado quando é necessário enviar ou receber dados, tornando possível a partilha de um único canal por vários utilizadores. O GPRS pretende eliminar ou, pelo menos, minimizar os problemas existentes na Internet móvel que se baseia na tecnologia WAP. As ligações através dos serviços WAP são bastante lentas, sendo necessário efetuar uma nova ligação sempre que se pretende aceder a novas informações, além de ter grandes limitações em termos de gráficos. Para além disso, este modelo de transferência de dados tem um custo elevado já que obriga o utilizador a múltiplas ligações.
Esta tecnologia traz consigo múltiplos benefícios, tais como a ligação permanente, o estabelecimento instantâneo da ligação, possibilidade da cobrança ser feita com base na quantidade de informação transferida e uma maior velocidade de acesso.
O GPRS não é a única tecnologia que pretende fazer a ponte entre a segunda e a terceira gerações móveis. A par desta tecnologia, existe uma outra cujo objetivo é similar. O HSCSD (High Speed Circuit Switched Data), tecnologia em que as redes celulares atuais são baseadas, também aumenta a velocidade de transmissão de dados através das redes móveis, podendo também ser considerado de 2,5G. De qualquer forma, as velocidades conseguidas com a tecnologia GPRS poderão ser superiores às conseguidas com o HSCSD, se os equipamentos o permitirem, sendo que esta tecnologia é taxada em função do tempo/duração da chamada e não em função da informação transferida, uma das grandes vantagens do GPRS.
No que diz respeito às operadoras móveis, a tecnologia GPRS, apesar de mais dispendiosa, permite uma gestão mais eficiente dos recursos da rede, uma vez que com esta tecnologia é possível ter slots atribuídos a diversos utilizadores, enquanto que com o HSCSD um único utilizador poderia monopolizar quatro slots.
Apesar da enorme evolução que esta nova tecnologia representa, existem algumas limitações em termos de rede que impedem o seu total aproveitamento. As frequências disponíveis para este tipo de ligação e o facto de que as chamadas GPRS utilizam os mesmos recursos de rede que uma chamada de voz, o que faz com que um canal que esteja a transmitir ou a receber dados não possa ser utilizado em simultâneo para uma chamada telefónica normal, são exemplos dessas limitações. Outra das grandes dificuldades do GPRS está no estabelecimento de comunicações a alta velocidade quando em movimento.
Como referenciar: GPRS in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-19 23:23:42]. Disponível na Internet: