Artigos de apoio

Graal

Revista editada em 1956 e que representa uma continuidade com Távola Redonda, expressa, aliás, na escolha do próprio nome da publicação. Do corpo redatorial e da redação fazem parte nomes que já tinham estado ligados ao projeto de 1950, como António Manuel Couto Viana, David Mourão-Ferreira, António Vaz Pereira, Luiz de Macedo, Fernando de Paços, Goulart Nogueira, Manuel Antunes. A nota de apresentação do número inaugural da revista define como programa a busca, "através de diferentes caminhos individuais", do Graal, de um alvo definido como "a realização de um comum ideal de Cultura", no âmbito de um "Humanismo personalista", isto é, aquele que "fundado sobre a pessoa como coexistência e tensão de opostos, procura erguer o homem a um horizonte de universalidade e transcendência" ("Para uma estética personalista", Manuel Antunes, Graal, n.° 1, p. 6). Inclui rubricas de poesia, teatro, ficção, ensaio, crítica e literatura estrangeira. Acolhe colaboração literária de Fernando Echevarria, Ruy Cinatti, Natércia Freire, António Salvado, Adelino Feijó Teixeira, José Blanc de Portugal, Ilka Sanches, Herberto Helder, Fernanda Botelho, Agustina Bessa-Luís, Ricardo Alberty, entre outros, ao mesmo tempo que a colaboração crítica de Jacinto Prado Coelho e Maria de Lourdes Belchior dá eco de um fecundo processo de renovação da crítica literária em Portugal. Marcada tematicamente pelo sentimento coletivo de uma civilização em perigo (Rocha, p. 501), esta revista estabelecerá uma ponte, pela publicação de alguns artigos sobre arte abstrata, com publicações vanguardistas de finais dos anos 50, como Tempo Presente (cf. MARTINHO, Fernando J. B., pp. 194-5).
Como referenciar: Graal in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-07-22 07:25:51]. Disponível na Internet: