Gregory Bateson

Biólogo, antropólogo e psicólogo, Gregory Bateson nasceu em 1904, em Grantchester, Inglaterra, neto de William Bateson (biólogo pioneiro da área da genética), mas viria a naturalizar-se e a desenvolver a sua carreira académica nos EUA.
Começou por receber formação académica em História Natural, na Universidade de Cambridge. Depois de se decidir pelo estudo da antropologia, e ter sido aluno de Radcliffe-Brown (Bateson foi docente de Linguística em Cambridge sob a sua batuta), realizou um trabalho de campo na Nova Guiné, do qual resultou a sua principal monografia, Naven (1936). Considerado um trabalho inovador para a época, este livro apresenta temas que se tornariam centrais no estudo antropológico do ritual e do simbolismo.
Nas suas obras na área da Antropologia, Bateson assentou o seu pensamento na psicanálise e na cibernética para explorar a codificação inconsciente da cultura. Igualmente importantes foram as suas contribuições para a Cibernética, na sequência de estudos realizados nos EUA (para onde emigrou no final dos anos trinta), com nomes como John Van Neuman e Norbert Wiener, centrando-se no seu principal interesse científico: os processos de comunicação interna e externa dos indivíduos. Neste âmbito destacam-se os estudos que realizou sobre a esquizofrenia e que viriam a influenciar o trabalho de R. D. Laing e o progresso da terapia familiar.
Outra das suas grandes preocupações académicas, dominante no período final da sua atividade, seria o desenvolvimento de uma teoria evolucionista capaz de fazer a ponte entre as ciências biológicas e as ciências sociais. Esta preocupação está bem presente nas obras Steps to an Ecology of Mind (1972) e Mind and Nature (1979).
Gregory Bateson foi um professor e um cientista versátil e internacionalmente reconhecido, tendo ensinado em algumas das principais universidades norte-americanas (Columbia, Harvard). Estendeu o seu trabalho científico/académico a diversos campos, incluindo, no final da sua vida e carreira, a zoologia, a psicologia e a etologia. Viria a falecer em S. Francisco, em 1980.
Outras obras de Bateson:
1949, Structure and Process in Social Relations (in Psychiatry, 12)
1951, Communication: The Social Matrix of Psychiatry (com Jurgen Ruesch)
1963, The Role of Somatic Change in Evolution (in Evolution, 17)
1967, Cybernetic Explanation (in American Behavioral Scientist, 10)
Como referenciar: Gregory Bateson in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-24 21:29:09]. Disponível na Internet: