grupo primário

O grupo primário, pequeno e íntimo, é um grupo restrito, em que cada membro pode estabelecer contactos diretos com os outros membros, através de relações fortes e solidárias, o que justifica a sua importância na vida dos indivíduos. O exemplo mais típico deste grupo é a família.
Cooley e a sociologia americana, no início do século XX, apresentam-nos o conceito de grupo primário como entidade de pequena dimensão, caracterizada por fortes relações de "face a face" entre os seus membros e um forte sentimento do "nós".
As principais características do grupo primário são: (i) laços de associação íntimos e face a face;
(ii) carácter não especializado da associação;
(iii) identidade de fins;
(iv) permanência relativa e contactos duradouros;
(v) número pequeno de pessoas envolvidas (de 2 a 15-20 pessoas);
(vi) relativa intimidade ou proximidade física entre os participantes.
O grupo primário é o foco principal das investigações de dinâmica de grupos, constituindo-se como a base fundamental de toda a organização social (Serruys, 1976), pois fornece as normas sociais mais elementares, como o sentido de justiça, o não matar, o não roubar e o não mentir (Marín, 1979).
Existem grupos primários permanentes, como a família, e outros efémeros, como os que se constituem a partir de encontros mais ou menos prolongados, de que se salientam os grupos de encontro. São de distinguir ainda, entre os grupos primários, o grupo de pares, muito importante durante a adolescência, e os grupos de vizinhança, de jogo e de amigos, que se podem constituir como importantes redes de apoio e suporte social dos indivíduos.
Como referenciar: grupo primário in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-15 13:23:17]. Disponível na Internet: