Guerra dos Balcãs (1914-1917)

A Sérvia, pretexto para a deflagração da Primeira Guerra Mundial, foi invadida pelos exércitos austro-húngaros do marechal Poitiorek a 12 de agosto de 1914. Contudo, na região de Shabac-Valievo, o príncipe Putnik inflingiu-lhes uma pesada derrota (16-24 de setembro) e obrigou-os a retirar da Sérvia. Nesse mesmo mês registou-se nova invasão, que teve o mesmo resultado; desta vez Putnik destroçou as forças imperiais entre Lazarevac e Rudnik (3-8 de dezembro) e libertou Belgrado (15 de dezembro).
A situação não sofreu grandes alterações até outubro de 1915. Nesse entretanto, os Aliados preocupavam-se por manter uma ligação direta com a Rússia e, nesse sentido, procuravam descartar a ameaça turca, forçando a passagem nos Dardanelos. Ficou célebre a campanha de Galípoli onde se perderam muitas vidas, sem grandes resultados práticos. Estas operações acabaram por deixar os sérvios relativamente desprotegidos. A 6 de outubro de 1915, iniciava-se uma nova ofensiva dos impérios centrais. No dia 14, a Bulgária declarava guerra à Sérvia e avançava com dois exércitos sobre Nisch e Uskub, com o objetivo de envolver as suas forças. Contudo, os sérvios, habilmente conduzidos por Putnik e o rei Pedro I, evitaram aquela manobra, penetrando nas montanhas da Albânia, que atravessaram em pleno inverno, e foram recolhidos na costa adriática pelos navios da Entente. Ao mesmo tempo, as forças sérvias do general Serrail, em retirada da campanha turca, conseguiram chegar a Salonica onde instalaram um governo provisório grego, que se uniu à Entente, protestando contra a neutralidade do rei da Grécia, Constantino I. Nesta altura, também os austríacos ocuparam o Montenegro e os portos da Albânia até ao Vojusa.
Os ataques sucessivos lançados por Serrail obtiveram resultados: Constantino I abdicou e o seu sucessor, Alexandre, aderiu à Entente a 12 de junho de 1917. Já no último ano da Guerra, os Aliados deslocaram para os Balcãs o grande exército do Oriente, comandado por Franchet d' Esperey, que conseguiu a rendição da Bulgária (29 de setembro de 1918), a capitulação da Turquia (30 de outubro) e, juntamente com o exército sérvio, invadiu a Hungria e libertou a Roménia.
Como referenciar: Guerra dos Balcãs (1914-1917) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-27 03:41:41]. Disponível na Internet: