Guerra Italo-Turca

Na sequência das discussões diplomáticas que tiveram lugar em Roma e Constantinopla durante o verão de 1911, a Itália fez um ultimatum à Turquia a 28 de setembro, exigindo o seu consentimento para uma ocupação militar da Tripolitânia e da Cirenaica. A resposta dos turcos não foi de encontro aos desejos italianos, e estes declaram guerra àquela nação a 29 de setembro.
A ação militar processou-se lentamente até à declaração formal de guerra, e só em 1 de outubro chegam os primeiros transportes a Trípoli: as fortificações obsoletas foram bombardeadas durante duas noites a 3 de outubro, depois de as autoridades turcas terem negado a entrega da cidade. Nos inícios de novembro, o Governo italiano considerou a possibilidade de estender o teatro de guerra, pelo menos no mar, esperando assim induzir a Turquia a desistir da luta. A 3 de outubro dá início ao bombardeamento naval de Trípoli e procede à anexação de Tripolitânia e de Cirenaica a 5 de novembro.
Como referenciar: Guerra Italo-Turca in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-22 01:09:13]. Disponível na Internet: