Halley Alves Bessa

Psicólogo, psiquiatra e professor universitário brasileiro nascido a 22 de janeiro de 1915, em Juiz de Fora, Minas Gerais, e falecido a 24 de novembro de 1994, em Belo Horizonte.
Durante a sua juventude, Halley Bessa trabalhou no negócio da família (conserto de calçado) e fez parte do Partido Integralista até ao encerramento deste, em 1937. Concluídos os estudos preparatórios, trabalhou nas rádios de Belo Horizonte, redigindo e apresentando programas literários e musicais, e escreveu artigos para os jornais da cidade.
Em 1940, entrou para a Faculdade de Medicina da Universidade de Minas Gerais. Em 1942, converteu-se ao catolicismo e começou a participar ativamente em diversos movimentos cristãos, entre eles o da Juventude Universitária Católica. Ainda durante o tempo de estudante, fez um estágio, com doentes mentais, no Hospital Raul Soares. Foi também docente na Escola de Comércio e trabalhou como inspetor de ensino para o Ministério da Educação. Concluído o curso, em 1945, estagiou no Hospital Psiquiátrico de Juqueri, em São Paulo. Entre 1947 e 1960, foi professor na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e, entre 1953 e 1977, na Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, da qual foi um dos fundadores. Entre 1962 e 1964, lecionou Medicina Legal na Faculdade de Direito da Universidade de Minas Gerais. Foi membro do primeiro Conselho Federal de Psicologia, tendo exercido também as funções de tesoureiro (1973-1979) e de Presidente (1982-1985). Foi ainda Presidente do Conselho Regional, entre 1980 e 1982, e foi um dos fundadores do Sindicato dos Psicólogos e do Instituto de Psicologia Aplicada de Minas Gerais, no qual exerceu igualmente as funções de Presidente. Em 1982, licenciou-se em Teologia na Universidade Católica de Minas Gerais. Durante os últimos anos de vida, realizou várias palestras sobre variados temas: culturais, educacionais, religiosos, de saúde e sobre tanatologia.
Em linhas gerais, a prática psiquiátrica de Halley Bessa assentou na psicanálise existencial, na corrente filosófica existencial cristã de Gabriel Marcel e na abordagem clínica de Viktor Frankl, que tinha como método principal a logoterapia. O primeiro trabalho de investigação de Halley Bessa foi apresentado, em 1948, no Congresso Brasileiro de Psiquiatria, onde demonstrou que o modelo de assistência psiquiátrica no Brasil era sub-humano e degradante. Posteriormente, dedicando-se à parte psicológica da psiquiatria e partindo da psicanálise, Halley Bessa concebeu um método de aconselhamento psicológico tecnicamente psicanalítico, sempre através de uma abordagem cristã e tendo em conta o contexto e experiência do doente. Contestou a teoria da incurabilidade e hereditariedade da doença mental e considerou que as suas causas gerais se encontravam nas pressões sociais e familiares. Este pensamento foi também corroborado, posteriormente, pelo psiquiatra existencialista escocês Ronald David Laing e pelo norte-americano Eric Berne, fundador da análise transacional. Halley Bessa foi um pioneiro, no Brasil, na abordagem de problemas psicológicos através da análise existencial cristã. Foram também reconhecidos o seu empenho e participação na construção de trabalhos em logoterapia, sendo eleito Presidente de Honra da Sociedade Brasileira de Logoterapia. De referir ainda que o psicólogo publicou, em 1984, o livro Morte e Suicídio: Uma Abordagem Multidisciplinar.

Como referenciar: Halley Alves Bessa in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-04-09 17:21:39]. Disponível na Internet: