Heinrich Böll

Escritor alemão, Heinrich Böll nasceu a 21 de dezembro de 1917 na cidade de Colónia. Filho de um escultor e entalhador, descendente de uma família de ingleses que fugiram às perseguições religiosas do seu país. Começou a ir à escola aos sete anos de idade, e estudou sempre em Colónia. Foi um dos poucos jovens a não aderir à Juventude Hitleriana, o que o isolou nos livros e, sobretudo, no cultivo da poesia.
Concluindo os seus estudos secundários em 1937, Heinrich Böll começou a trabalhar como aprendiz numa firma editora-livreira e alfarrabista, mas acabou por abandonar o ofício no ano seguinte. Começou então a escrever, ganhando algum dinheiro a dar explicações.
Nos finais do ano de 1938 iniciou o cumprimento de um período de trabalho obrigatório, na época um requisito para a admissão em qualquer universidade. Matriculou-se portanto na Universidade de Colónia como estudante de Filologias Clássica e Germânica, mas uma vez mais teve que interromper o seu percurso, desta feita ao ser engajado pelo exército na altura em que pairava já a ameaça da guerra. Combateu em várias frentes de batalha e, sobrevivendo às mais horrendas carnificinas, acabou por ser aprisionado pelas tropas norte-americanas em defesa do território alemão, já em 1945. Libertado em novembro desse mesmo ano, fixou-se nos arredores de Colónia, uma casa parcialmente destruída, que foi reconstruindo, encontrando também tempo e disposição para escrever.
Os seus primeiros contos foram publicados a partir de 1946, e o seu primeiro livro, uma novela intitulada Der Zug War Pünktlich, foi publicado em 1949. A obra debruçava-se sobre as crueldades que testemunhou antes e durante a Segunda Guerra Mundial, e procurava não só libertar o autor dos seus traumas, como contribuir de certa forma para o esforço de reconstrução do país.
A partir de 1950 começou a trabalhar a título temporário no Instituto de Estatísticas de Colónia, onde se manteve até ao ano seguinte, altura em recebeu um convite para aderir à famosa tertúlia literária Gruppe 47, liderada por Günter Grass. Tornou-se escritor a tempo inteiro com a publicação de Wo Warst Du, Adam? (1951) e, em 1953, apareceu o seu primeiro grande romance de sucesso, Uns Sagte Kein Einziges Wort, obra de tristeza e de esperança, de pobreza e sobrevivência, e em que Böll utiliza técnicas narrativas originais, característica do seu trabalho.
Em Ansichten Eines Clownes (1963), o autor utiliza uma série de telefonemas para contar a história de um homem que se aliena da sociedade e que se faz de parvo para renunciar às suas responsabilidades. Gruppenbild Mit Dame (1971) constituiu também uma inovação formal, já que Böll se serviu de um corpo de documentos e entrevistas fictícias sobre Leni Pfeiffer para descrever as vidas de cerca de meia centena de outras personagens.
A partir de 1968 lecionou na Universidade de Frankfurt, na Universidade de Praga (1969) e na de Israel 1970). Envolveu-se ativamente na política a partir de 1972, juntando-se aos sociais-democratas de Willy Brandt. Nesse mesmo ano foi galardoado com o Prémio Nobel da Literatura.
Em 1974 publicou Die Verlorene Ehre Der Katharina Blum (A Honra Perdida de Catarina Blum), obra que foi adaptada para o cinema pelos realizadores Volker Schlöndorff e Margarethe von Trotta no ano seguinte.
Heinrich Böll faleceu em Bona a 16 de julho de 1985.
Como referenciar: Heinrich Böll in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-21 09:12:19]. Disponível na Internet: