holograma

Um holograma consiste numa imagem em forma de figura que resulta dum processo fotográfico em virtude do qual a imagem de um objeto pode ser recolhida na sua estrutura tridimensional para ser reproduzida estereoscopicamente.
O processo da holografia foi descoberto em 1948 pelo físico britânico de origem húngara Dennis Gabor.
No método da holografia normalmente utiliza-se uma luz coerente, isto é, uma luz cujas ondas oscilam rigorosamente a um ritmo regular e podem, em consequência, interferir umas com as outras.
Num holograma o objeto recebe a radiação de uma luz (coerente) de raios laser.
O feixe de luz refletido sobrepõem-se a um chamado feixe de referência, que se obtém com o auxílio de um espelho semitranslúcido. Ambos os feixes coincidem numa placa fotográfica, onde se forma uma imagem em forma de figura de interferência.
Para reproduzir o holograma é necessário proceder em sentido inverso.
A principal aplicação dos hologramas é fotográfica, no entanto existem outras aplicações como a acumulação múltipla, classificação e ordenação de dados, reconhecimento de sinais e reproduções para livros de objetos sob diferentes ângulos.
Aplica-se também em medicina e biologia para o estudo dos sistemas vivos, dado que esta técnica permite registar um elevado número de planos simultaneamente, o que é muito vantajoso em relação às técnicas habituais.
Como referenciar: holograma in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-29 23:37:48]. Disponível na Internet: