Huíla

Província no Sudoeste de Angola cuja capital é a cidade de Lubango, com 75 000 habitantes (2004). Confinada pelas províncias angolanas de Namibe (a oeste), Benguela (a noroeste), Huambo (a norte), Bié (a nordeste), Kwando Kuvango (a este), Kunene (a sul), a província de Huíla tem uma superfície de 75 002 km 2 e uma população estimada em 938 000 habitantes (2004), constituída, na sua maioria, pelo povo étnico dos Muílas que, juntamente com os Gambos, integram o grupo étnico dos Nhanecas.
A nível geomorfológico, a província encontra-se acima dos 1000 metros de altitude, alcançando, nalguns pontos, mais de 2000 metros. Os rios Kunene e Kuvango abrangem, em grande parte, a província que, no tempo das chuvas, apresenta caudais de cheias e, no verão, grandes secas. A cidade de Lubango, antigamente Sá da Bandeira, localiza-se a 1780 metros de altitude e apresenta um clima subtropical. Fundada por colonos madeirenses, em 1885, passou a sede do concelho, em 1889, e foi elevada a cidade, em 1923. A agricultura, a silvicultura e a pecuária são as principais atividades da província que, no entanto, são afetadas, não só pela escassez de população ativa, que se refugiou noutras províncias devido à guerra e à seca, como também pela falta de ferramentas e tecnologias modernas e ainda pela irregularidade e escassez de pluviosidade, que condiciona as produções agrícolas e pecuárias. Na agricultura, produz-se essencialmente algodão, banana, batata, cana-de-açúcar, batata doce, feijão, milho, soja, tabaco, girassol, goiaba, trigo, manga, sisal. A pecuária, que se ressentiu do impacto da guerra, centra-se na criação de gado caprino e bovino. Quanto às riquezas minerais, estas residem sobretudo em ouro, diamantes, caulino, mica, granito negro, urânio, magnésio e água mineral. Na indústria, ocupam lugar de destaque os materiais de construção, a química, o tabaco, a madeira e o mobiliário. As trocas comerciais, que se realizam artesanalmente, em mercados e feiras, estão a ser relançadas por iniciativas de privados.
Com enormes deficiências nos sistemas de produção, transporte e distribuição de energia e água e com necessidade de reabilitar os setores da saúde e da educação, o governo provincial tem procurado investimentos financeiros e recursos humanos para a recuperação e desenvolvimento da região, a nível social e económico.
Quanto às atrações turísticas, destaca-se: a fenda e a cascata de Tundavala (perto de Lubango); o Parque Nacional de Bicuar (com 7900 km2), onde predomina o búfalo negro; a Serra da Leba, conhecida por Morro da Chela e o serpentear da estrada que a atravessa; as quedas de Hunguéria (de difícil acesso). O artesanato da região reflete o património sócio-cultural dos Muílas.
Como referenciar: Huíla in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-27 13:16:16]. Disponível na Internet: