idade (geologia)

É a unidade cronogeológica mais importante, correspondente à unidade cronoestratigráfica de andar. O nome da idade deriva, geralmente, do nome da localidade ou região em que foi definida pela primeira vez, acrescentando-se o sufixo -iano (exemplo: Flandriano, na região de Flandres).
As idades dividem-se em fases e episódios, e os andares em subandares e zonas.
Idade absoluta - idade determinada com base nas propriedades físicas e químicas das substâncias radioativas. O conhecimento da idade das rochas em termos absolutos permite o seu enquadramento cronológico com os acontecimentos geológicos com elas relacionados. As idades absolutas são expressas, geralmente, em milhões de anos, com indicação de um certo intervalo de erro (por exemplo: 72 ± 6 M. a.). A unidade cronológica de tempo é de 1 000 000 de anos (1 M. a.). Idade do gelo - designação dos períodos de atividade glaciária disseminada, quando os grandes mantos de gelo cobriam partes muito extensas dos continentes. A Grande Idade do Gelo é também conhecida por Quaternário. A data exata do seu início é ainda muito controversa, admitindo a maior parte dos autores que se situa há 1,8 ou 2 milhões de anos. Na Europa os principais períodos de glaciação foram o Gunz, o Mindel, o Riss e o Wurm.
Idade relativa - idade determinada a partir da relação da sequência de acontecimentos com os estratos sedimentares. A idade relativa não indica o tempo exato em que determinado acontecimento ocorreu, indicando apenas que esse fenómeno foi anterior a um e seguido por outro.
O físico dinamarquês do século XVII Nicolau Steno foi o primeiro cientista a relacionar a sequência dos acontecimentos com os estratos sedimentares. A este cientista se devem alguns princípios importantes para determinar as idades relativas, como os princípios da sobreposição, da horizontalidade original e da relação intrusão-fratura.
Como referenciar: idade (geologia) in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-03 21:06:02]. Disponível na Internet: