identificação projetiva

Identificação projetiva é um mecanismo de defesa que se manifesta por um processo inconsciente, no qual aspetos do próprio sujeito são negados e atribuídos a outro. É constituído por várias etapas e, abordando uma primeira etapa, partes do seu self ou dos objetos internos são clivados, expelidos e projetados em objetos exteriores, ou seja, noutra pessoa, que se torna então possuída e controlada pelas partes projetadas identificando-se com elas.
O indivíduo destaca esse conteúdo, que tanto pode ser positivo como negativo, e projeta-o. O objeto externo é sentido como controlado pelo sujeito.
Este termo foi introduzido por Melanie Klein para caracterizar um tipo de relação intrusivo e sádico que se pode estabelecer entre a criança e a mãe. A identificação projetiva tem uma dimensão interpessoal, além do seu papel de mecanismo de defesa intrapsíquico. É um mecanismo de defesa que procura manter uma separação entre o bem e o mal. Nesta operação mental, o sujeito, ao projetar partes de si no outro, espera do outro compreensão e transformação do seu pensamento e da sua emoção. Esta situação pode também acontecer numa situação de análise, em que o paciente projeta no analista parte de si. Este comporta-se como essa parte do objeto projetado. O analista processa psicologicamente este material e modifica-o, para que depois o possa devolver ao paciente. Esta modificação do material projetado vai alterar a representação do self ou do objeto e o padrão de relacionamento interpessoal.

Como referenciar: identificação projetiva in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-23 01:30:36]. Disponível na Internet: