Igreja da Misericórdia de Santa Maria da Feira

A Igreja da Misericórdia de Santa Maria da Feira é precedida por elegante escadaria do século XVIII, onde se destaca um bonito chafariz de espaldar triangular, delimitado por aletas e, ao centro, preenchido por composição de concheado aberto em leque e uma urna, de onde partem três bicas para o tanque, de contorno mistilíneo.
A igreja foi construída na última década do século XVII, no local da antiga Igreja Paroquial de S. Nicolau. O novo templo, dedicado a N. Sra. dos Prazeres, apresenta uma fachada de linhas sóbrias. O pano central é ladeado por duas torres sineiras (a da direita é antiga) e, ao centro, rasga-se um portal enquadrado por duas pilastras toscanas. Axialmente, abre-se a janela do coro, encimada por nicho, cujo frontão ostenta o escudo nacional. Acima deste é visível ainda um pequeno óculo. As pilastras do portal e a empena triangular são coroadas por pináculos.
O interior da igreja apresenta-se amplo e formado por uma só nave no corpo. A capela-mor preenche quase toda a largura da nave, não existindo capelas colaterais. Estas foram substituídas por pequenos arcos, assentes em pilastras toscanas que resguardam os retábulos. O da direita, de talha dourada barroca, é dos inícios de Setecentos, filiando-se no denominado Estilo Nacional; o da esquerda é já neoclássico.
Elemento estrutural importante neste tipo de igreja, a tribuna dos mesários aparece-nos à entrada sob um largo arco rebaixado, seguido do coro alto. Do lado esquerdo, sustentado por singela mísula, situa-se o púlpito. O corpo da igreja era abobadado, mas foi destruído aquando do terramoto de 1755. A parede da direita mostra um retábulo em talha dourada, enquadrado por colunas helicoidais revestidas por profusa decoração com símbolos eucarísticos. Estas sustentam dois arcos, sendo o interior espiralado. Tem ainda sanefa central da 2.ª metade de Setecentos, ornada de composições de concheados abertas em leque. Sob esta encontra-se uma bonita imagem setecentista de N. Sra. da Conceição, de elegantes e esvoaçantes panejamentos.
A capela-mor ostenta um retábulo do primeiro terço do século XVIII, de talha dourada barroca, e cria um bonito efeito cénico, conjuntamente com a abóbada de berço revestida a caixotões, encerrando composições pictóricas de cariz vegetalista, do século XVII. O retábulo é formado por dois pares de colunas espiraladas, envoltas em pâmpanos, seguidas de dois arcos, igualmente em espiral e com o mesmo tipo de revestimento. Ao centro desta estrutura, abre-se o camarim que alberga o sacrário, composto por dois corpos enquadrados por pequenas colunas. De realçar ainda o frontal de altar de talha dourada.
Fazem parte do espólio da Igreja da Misericórdia duas bonitas esculturas, uma de pedra de Ançã do século XV, representando um santo bispo e saída da oficina de Coimbra; a outra, de madeira, é uma Senhora das Dores da 2.ª metade de Setecentos, interessante pela sua graciosidade.
Nas alfaias litúrgicas, o destaque vai para uma custódia de prata dourada, dos séculos XVII-XVIII, para uma píxide, igualmente de prata dourada e da 2.ª metade do século XVIII, e ainda para um cálice da mesma época.
Como referenciar: Porto Editora – Igreja da Misericórdia de Santa Maria da Feira na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-30 05:08:10]. Disponível em