Igreja da Misericórdia do Porto

A Confraria de Nossa Senhora da Misericórdia decidiu dar início à sua igreja em 1555. As obras prolongaram-se e a igreja só foi terminada em 1590.
Tendo-se verificado alguns problemas colocados pela sua construção deficiente, foi necessário proceder a obras de consolidação e restauro em 1748. Nesta altura surge na história da igreja da Misericórdia uma figura de especial relevo para a cidade do Porto -- Nicolau Nasoni.
Da antiga igreja apenas restou a capela-mor, pois as restantes estruturas foram remodeladas, nomeadamente as paredes da abóbada e a fachada. Esta última é da autoria de Nicolau Nasoni, para a qual fez três desenhos. É uma estrutura que assenta sobre três arcadas separadas por pilastras. Apresenta no segundo andar um frontão circular muito decorado e três janelões. O remate é constituído por um frontão com o emblema da Mesericórdia. A cornija apresenta-se decorada com fogaréus, elementos próprios do tipo de ornamentação nasoniana. O interior da igreja, projetado pelo engenheiro Manuel Alves Martins, é de nave única coberta por uma abóbada. As paredes são revestidas de azulejo azul e branco. Uma abóbada barroca cobre a capela-mor, cujo altar é de talha neoclássica. O coro assenta sobre um arco abatido e recortado, também da autoria de Nicolau Nasoni.
Como referenciar: Igreja da Misericórdia do Porto in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 19:34:12]. Disponível na Internet: