Igreja da Sorbonne

A igreja da Sorbonne, iniciada em 1635, é a obra-prima de Jaques Lemercier (1585-1654) e uma das mais importantes do barroco francês. Trata-se de uma igreja de nave única, com cúpula ao centro situada na interceção da nave com o transepto e quatro capelas retangulares nos ângulos da cruz. O único elemento assimétrico é a abside que encerra a capela-mor.
Exteriormente apresenta duas fachadas: a principal, voltada para a praça e outra, a norte, voltada para o pátio interior do colégio. Lemercier utilizou dois programas diferentes: na fachada, destinada ao público, usa com certa frieza o tipo italiano com duas ordens sobrepostas; na do pátio propõe uma variação sobre o motivo observado no Panteão de Roma, usando sobre a escadaria um pórtico de seis colunas toscanas.
O plano que Lemercier propôs para esta igreja tem influências diretas da planta de igreja de San Carlo ai Catinari em Roma, obra de Rosato Rosati, iniciada em 1612. A semelhança é ainda mais acentuada no que diz respeito às cúpulas dos dois edifícios que se desviam do desenho romano convencional de século XVI e inícios do XVII.
Esta realização, que constitui um exercício de purismo arquitetural dentro do panorama artístico parisiense, confere a Lemercier o estatuto de ter sido um dos fundadores do classicismo francês e o melhor arquiteto francês do século XVII.
Como referenciar: Igreja da Sorbonne in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-09 20:55:07]. Disponível na Internet: