Artigos de apoio

Igreja e Convento de S. Paulo
Fundado em 1568 por Frei Francisco Foreiro, o Convento de S. Paulo da cidade de Almada foi um cenóbio que acolheu uma comunidade de religiosos da Ordem de S. Domingos.
A sua volumetria foi sendo alterada ao longo dos séculos, modificando-lhe parte do seu perfil inicial, nomeadamente a sua igreja, resultado de uma reforma barroca. Atualmente, a parte escolar do seminário de Almada funciona em algumas das dependências conventuais.
Simples e austera, a frontaria é marcada por um portal de linhas retas, sobrepujado por frontão em pedra. O seu tímpano ostenta uma cartela, onde se inscreve o símbolo da Ordem de Santiago.
Internamente, o templo é de nave única e está coberto por um teto de madeira. As paredes da nave são parcialmente forradas por azulejos figurados do século XVIII, em tonalidades de azul e branco. Do lado da Epístola, contam-se as seguintes cenas hagiográficas: "S. Francisco recomendando a um irmão a crença em S. Tomás", "Visão da Corte Celestial por S. Domingos de Gusmão", "A Virgem mostrando ao beato Reginaldo o hábito da religião" e o "Casamento Místico de Santa Catarina". No lado contrário vê-se, entre outros, "S. Luís Beltrão", "S. Domingos", "S. Jacinto" e o "beato Alano de Rupe". No fundo do templo, pode-se observar "S. Jacinto livrando o Santíssimo Sacramento e uma imagem de alabastro de Maria Santíssima da fúria dos bárbaros" e ainda "A Virgem Maria entregando o Menino Jesus a Santa Inês do Monte Peliciano". A capela-mor apresenta a figuração cerâmica de S. Pedro e de S. Paulo.
Composições em talha dourada barroca do século XVIII inserem-se na ousia e nas capelas colaterais, expondo o retábulo-mor as esculturas policromadas de S. Pedro e de S. Paulo, enquanto os colaterais mostram conjuntos escultóricos sobre o Calvário e a Imaculada Conceição. No lado do Evangelho rasga-se uma capela forrada por azulejos azuis e brancos setecentistas, contendo ainda um retábulo em talha dourada, no qual se insere uma escultura pintada da Virgem com o Menino, possivelmento obra do século XVII.
As paredes da sacristia são totalmente forradas por azulejos padronizados do século XVII, em tons de azul e amarelo. Sob um arco de volta perfeita encaixa-se uma pintura do altar da sacristia, painel do século XVII alusivo ao "Milagre Eucarístico de Stº. António". Na parte inferior sobressai o frontal de altar, de revestimento cerâmico policromado, obra do último quartel do século XVII, denotando o desenho das representações zoomórficas e naturalistas marcadas influências orientais. O arcaz serve de suporte a quatro esculturas de madeira dourada e datadas do século XVIII, alusivas aos quatro Evangelistas.
No átrio que conduz à atual ala conventual adaptada para Seminário, sobressai uma estátua em pedra de S. Brás, obra da primeira metade de Quinhentos, assente em mísula com decoração manuelina de cariz naturalista.
Como referenciar: Igreja e Convento de S. Paulo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-11-23 03:45:14]. Disponível na Internet: