Igreja Matriz de Monchique

A Igreja Matriz da vila algarvia de Monchique é uma bela construção do reinado de D. Manuel I, remodelada e decorada com obras de arte posteriores, mas mantendo parte substancial das suas linhas marcantes do gótico tardio. Foi consagrada a N. Sra. da Conceição.
Na fachada principal rasga-se um portal ogival de arcos reentrantes com uma composição manuelina de verga radial, de cariz naturalista, marcada por cinco cogulhos angulares. Repousa sobre pilastras envoltas por movimentadas espirais manuelinas capitelizadas, tendo ainda máscaras esculpidas nos intercolúnios. As fachadas laterais têm portas mais simplificadas, embora se filiem na gramática artística manuelina.
Internamente, o templo é constituído por corpo de três naves, divididas por arcadas sustentadas por graníticas colunas com capitéis de cordame torcido. No seu espaço, o realce vai para a Capela do Santíssimo, quadra coberta por abóbada nervurada com um bocete axial com a Cruz de Cristo. As suas paredes são totalmente forradas por policromos azulejos seiscentistas de maçaroca, emoldurando painéis azulejares hagiográficos. Dos vários altares das paredes do corpo da igreja, o destaque centra-se num belo e simples de madeira de castanho entalhada.
O retábulo da capela-mor é uma obra barroca de talha dourada, com as colunas torsas e um aparatoso remate superior, constituído por uma composição de anjos ostentando legendas com a Lua e o Sol. Na parte central, impõe-se um medalhão com a coroa portuguesa. Na tribuna expõe-se a bela e barroca escultura de N. Sra. da Conceição - peça de madeira estofada do século XVIII, restaurada em 1884 por um artista de Faro, Francisco de Assis Cruz Leiria, e que tem sido atribuída ao escultor Joaquim Machado de Castro.
Como referenciar: Igreja Matriz de Monchique in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-17 13:38:01]. Disponível na Internet: