Ilha de Fogo

Ilha do arquipélago de Cabo Verde, Fogo tem 476 km2, 31 km de comprimento por 29 km de largura, albergando cerca de 37 400 habitantes (2000). A sede do Fogo é São Filipe, cidade com cerca de 6000 habitantes.
A ilha do Fogo está dividida em três municípios: Mosteiros (que inclui a freguesia de Nossa Senhora da Ajuda), Santa Catarina do Fogo (Santa Catarina) e São Filipe (São Lourenço e Nossa Senhora da Conceição).
A ilha foi descoberta em maio de 1460, juntamente com as ilhas de maio e Santiago, e foi a segunda do arquipélago de Cabo Verde a ser povoada, logo a seguir a Santiago, de quem está próxima, a cerca de 50 km. Inicialmente, a ilha do Fogo chamava-se São Filipe, tendo mudado de nome, provavelmente, por causa do vulcão que alberga.
A ilha tem o formato de um vulcão, que ainda está ativo, e o topo deste é o ponto mais alto do território, com 2829 metros. A última erupção aconteceu em abril de 1995. A cratera do vulcão tem 9 km e paredes com mil metros de altura.
Pouco anos depois de ter sido descoberta, a atual ilha do Fogo ganhou grande importância na economia de Cabo Verde. O algodão plantado na ilha passou a ser a moeda de compra de escravos na costa africana, numa altura em que só era possível resgatá-los com mercadorias produzidas no arquipélago.
No entanto, devido às constantes secas que desde sempre assolaram o Fogo, muitos habitantes optaram por emigrar, especialmente a partir de finais do século XVIII e no século XIX. Os habitantes do Fogo aproveitavam a passagem dos baleeiros norte-americanos nos portos de Cabo Verde para poderem viajar para os Estados Unidos da América, onde havia procura de mão de obra.
Por ter solos de terra fértil, favoráveis à agricultura, a ilha foi, desde logo, escolhida para ser povoada. Entre as atividades agrícolas do Fogo destacam-se a produção de café e de vinho. Posteriormente, desenvolveu-se a produção de algodão e de bens agroindustriais, como as conservas, que viriam a ser exportados para os Estados Unidos da América, país com quem Cabo Verde, devido à emigração, mantinha relações privilegiadas. A produção do vinho "Manecom" é feita na aldeia de Chã das Caldeiras, onde os cerca de 300 habitantes locais plantam as vinhas nas terras férteis na base do vulcão. O café é essencialmente proveniente de Mosteiros, localidade do norte da ilha com cerca de 600 moradores, sendo assim a segunda maior do Fogo, atrás de São Filipe.
Como referenciar: Porto Editora – Ilha de Fogo na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-20 20:59:57]. Disponível em