imperativo

Modo verbal especializado na expressão da ordem, do pedido, da sugestão, da obrigação, da instrução, do conselho, do convite, etc., embora estes valores deônticos (relacionados com permissão e obrigação) possam ser traduzidos por outros processos linguísticos, como pelo Infinitivo (ex.: <Fletir as pernas e sentar!>) ou pelo Presente do Indicativo (<Fletes as pernas e sentas-te>).
Morfologicamente, o imperativo é constituído apenas por duas formas verbais, uma na 2.ª pessoa do singular (ex.: <faz, <compra>, forma que é igual à 3.ª pessoa do sing. do Presente do Indicativo) e outra na 2.ª pessoa do plural (ex: <fazei, <comprai, forma que é igual à 2.ª pessoa do plural do Presente do Indicativo com queda do <-s> final), construídas a partir do Presente do Indicativo. Contudo, para exprimir o tratamento de 3.ª pessoa <você> e com a necessidade de expressão do designado "imperativo negativo", recorre-se às formas do Presente do Conjuntivo, conforme o seguinte esquema:

Imperativo Afirmativo (tu) faz*
(você, ele, ela) faça
(nós) façamos
(vós) fazei*
(vocês, eles, elas) façam

Imperativo Negativo
(tu) não faças
(você, ele, ela) não faça
(nós) não façamos(vós) não façais
(vocês, eles, elas) não façam

*Formas do Imperativo.

O modo imperativo ocorre como predicado de frases imperativas, como se pode verificar nos seguintes exemplos:

i) Deixa-me em paz!
ii) Repita a operação!
iii) Não deite lixo para o chão!

Porém, nem todos os verbos podem ocorrer no imperativo (ex: <*Morre!>, <*Sangra!>), por restrições semânticas, uma vez que o uso do imperativo implica que os eventos possam ser controlados por quem é objeto da ordem.
Como referenciar: imperativo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-08 08:57:57]. Disponível na Internet: