impressões digitais genéticas

Técnica de identificação de porções de ADN, também designada por DNA fingerprint.
Baseia-se no facto de existirem no ADN sequências repetitivas de bases, denominadas zonas de restrição. A partir de uma amostra de material biológico que contenha ADN faz-se a extração desta molécula. Posteriormente, utilizando enzimas de restrição, o ADN é fragmentado em pedaços. Os cortes ocorrem onde existem sequências de bases repetitivas que correspondem a zonas de transição. Uma solução deste ADN é colocado num campo elétrico apropriado, onde as porções se separam umas das outras e posteriormente podem ser visualizadas com o aspeto de bandas.
Obtém-se assim uma amostra semelhante ao código de barras dos produtos comerciais.
Cada indivíduo possui o seu próprio código. Para além de problemas relacionados com a filiação biológica, esta técnica tem sido muito utilizada pela ciência forense.
Como referenciar: Porto Editora – impressões digitais genéticas na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-25 14:33:46]. Disponível em