Imre Kertész

Escritor húngaro, parte de uma família judia, nascido em 1929, em Budapeste, faleceu a 31 de março de 2016 na mesma localidade. Durante a Segunda Guerra Mundial, aquando da invasão da Hungria pelas tropas alemãs, com apenas 15 anos, foi levado para o campo de concentração nazi de Auschwitz em 1944 e depois para Buchenwald em 1945, ano em que foi libertado pelas tropas soviéticas.

De volta a Budapeste, começou a trabalhar como jornalista e mais tarde dedicou-se à atividade de escritor. Escrevia comédias musicais e teatrais. Publicou a sua primeira obra em 1975, com o título Sorstalanság (Sem Destino), cuja personagem passou por campos de concentração. Enveredou também pela tradução, tendo trabalhado com obras de autores famosos como Nietzsche e Freud.
Começou a ser conhecido internacionalmente após a queda do muro de Berlim. Obras suas como A Kudarc (1988), Kaddish a meg nem széletett gyermekért (Kaddish Para Uma Criança Que Não Vai Nascer, 1990) e A svámuzött nyelv (2001) foram traduzidas para outras línguas.

Recebeu vários prémios na Alemanha, país onde alcançou grande sucesso. Viu consolidado o seu reconhecimento internacional quando, em 2002, recebeu o Prémio Nobel da Literatura.

A reflexão profunda sobre temas como o destino, ou a sua ausência, a liberdade, o instinto de sobrevivência e a moral são algumas das características da escrita do autor.
Como referenciar: Imre Kertész in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-24 21:49:18]. Disponível na Internet: