Ínclita Geração

Esta designação foi cunhada por Camões, em Os Lusíadas (Canto IV, estância 50), ao referir-se aos descendentes do rei D. João I:
"Mas, pera defensão dos Lusitanos,
Deixou, quem o levou, quem governasse E aumentasse a terra mais que dantes:
Ínclita geração, altos Infantes."
Tal deve-se ao facto de os filhos de D. João I e D. Filipa de Lencastre - os que chegaram à idade adulta, pois os dois primeiros filhos morreram ainda crianças - terem sobressaído pelo seu elevado grau de educação, valor militar, grande sabedoria e predominância na vida pública portuguesa.
Fazem parte da Ínclita Geração D. Duarte, que foi rei; o Infante D. Pedro, senhor de grande cultura e muito viajado, conhecido como o "Príncipe das Sete Partidas"; o Infante D. Henrique, promotor e impulsionador da gesta dos Descobrimentos marítimos; D. Isabel, mais tarde duquesa de Borgonha, sábia administradora do território governado pelo seu marido, Filipe, o Bom; o Infante D. João, designado em 1418, mestre da Ordem de Santiago de Espada; e o Infante D. Fernando, conhecido como o "Infante Santo", que morreu, em Fez, sacrificado aos interesses da pátria.
Como referenciar: Ínclita Geração in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-20 09:20:51]. Disponível na Internet: