inconsciente

O conceito de inconsciente foi cientificamente apresentado pelo "pai" da psicanálise, Sigmund Freud com a publicação da obra Três Contribuições para a Teoria da Sexualidade, em 1905.
O inconsciente também conhecido por Id (que contém a energia - libido) é, de acordo com Freud, uma zona do nosso psiquismo fundamentalmente de natureza sexual, primitiva e instintiva. É uma estrutura caótica, desorganizada e que guarda todos os fenómenos aparentemente inacessíveis e inaceitáveis à nossa consciência. Ele é uma espécie de um reservatório de energia da personalidade, constituído por desejos, impulsos, pulsões, tendências, etc. Estes "materiais" são inconscientes quer porque nunca se tornaram conscientes quer por terem sido reprimidos pela consciência.
Durante o sono, não ocorre o processo de censura (processo responsável pela seleção, aceitação ou rejeição de ideias conscientes, memórias e impulsos que surgem do inconsciente) tornando possível o emergir dos conteúdos inconscientes e a produção dos sonhos.
Por último, o inconsciente é regulado pelo princípio do prazer que visa a satisfação dos desejos e impulsos, "evitando" tudo o que possa constituir desprazer.
Como referenciar: inconsciente in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 00:54:28]. Disponível na Internet: