Infante D. Fernando (1218-1243)

Pensa-se que o Infante D. Fernando, filho de D. Afonso II e D. Urraca, tenha nascido por volta de 1218 e morrido cerca de 1243. Durante a infância cedeu à coroa as suas propriedades, fixando-se em Serpa.
Foi protagonista de um atribulado episódio, cujo desfecho não o dignificou. Quando D. Paio, bispo de Lisboa, faleceu, concorreram ao cargo o deão da Sé e Sancho Gomes. Foi eleito o deão, protegido do papado; no entanto, como D. Fernando era apoiante de Sancho Gomes, decidiu subtrair à força os bens do deão e de todos os familiares, pegar fogo à casa e forçar a entrada da igreja, onde os familiares tinham escondido alfaias litúrgicas. Este último ataque teve de ser efetuado com um grupo de muçulmanos, uma vez que os homens que secundaram o infante se recusaram a isso.
Como consequência, foi D. Sancho II intimado pelo papa Gregório IX a retratar-se perante a Igreja sob pena de interdição. D. Fernando demonstrou arrependimento e foi-lhe dada a penitência de ser açoitado à frente da igreja que arrombara, além de muitos outros atos de humildade e sacrifício.
Ao voltar de Roma, D. Fernando auxilia o seu irmão na guerra contra os muçulmanos, casando-se mais tarde com uma filha do castelhano Fernando Nunes de Lara e servindo o rei Fernando III e o príncipe D. Afonso de Castela.
Como referenciar: Infante D. Fernando (1218-1243) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-17 18:36:14]. Disponível na Internet: