Inocêncio V

Papa natural de Saboia, de seu nome Pedro Tarantaise ou Pietro di Tarantasia, era um frade dominicano (Ordem para a qual tinha entrado quando ainda contava poucos anos de vida) que tinha colaborado com São Tomás de Aquino e com Santo Alberto Magno. Lecionou a cadeira de Teologia na Universidade de Paris, substituindo São Tomás, e foi também provincial de França da Ordem de São Domingos (ou seja, dirigente e responsável pelos conventos de França) durante trinta anos.
Nasceu em Val d'Isière e destacou-se pela sua cultura (o que deu origem ao sobrenome de doctor famosissimus), tendo este professor elaborado uns importantes comentários às Sentenças de Pedro Lombardo e difundindo os escritos de Aristóteles.
Conselheiro de Gregório X, o que justificou a sua eleição a 21 de janeiro de 1276, foi igualmente nomeado arcebispo de Lyon em 1272, cargo do qual se despojou para melhor preparar o importante Concílio de Lyon (1274). Neste mesmo Concílio fez valer os seus dotes oratórios, ao elaborar um comovente elogio fúnebre a São Boaventura, que morreu naquela altura. Tendo seguido o papa, após a finalização do Concílio, iniciou então as suas funções de conselheiro e foi-lhe dado o título de cardeal bispo de Óstia. Eleito em Arezzo, onde o seu predecessor tinha falecido, iniciou uma campanha de sensibilização ao empreendimento de uma nova cruzada para a libertação da Terra Santa e tentou introduzir a paz em Itália.
Contrariamente ao seu antecessor, apoiou a política de Carlos de Anjou e não chegou a consagrar imperador Rodolfo de Habsburgo. O seu curto pontificado, que durou até 22 de junho de 1276, não permitiu a concretização da maioria dos seus projetos, nos quais se depositava tanta esperança numa época tão conturbada.
Sepultado na basílica de São João de Latrão, Inocêncio V foi beatificado a 14 de março de 1898 pelo papa Leão XIII.
Como referenciar: Inocêncio V in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 08:44:47]. Disponível na Internet: