Invasão da Península Ibérica pelos Árabes

Nos princípios do século VIII, o poder muçulmano crescia no noroeste africano. Aproveitando o estado de decomposição da monarquia visigótica, os Árabes (que incluem sírios, persas, egípcios e berberes), todos dominados pela mesma fé, atravessaram o Estreito, vindos das mais variadas partes, conquistaram e penetraram profundamente em quase toda a Península Ibérica em 711.
Tornaram-se senhores de um vasto território com cerca de 600 000 km2. Os exércitos atacaram de sul para norte e, uma vez chegados ao centro de Espanha, expandiram-se para ocidente, apoderando-se do território que hoje é Portugal. Em 715 a ocupação estava praticamente concluída. Os Árabes não conseguiram, no entanto, dominar um pequeno grupo de cristãos das Astúrias, de onde viria a partir a Reconquista.
Os séculos que mediaram até à completa expulsão dos Árabes (que se deu apenas em 1492) foram dominados por uma longa luta armada. Os cristãos venceram o mundo islâmico devido à divisão interna deste, patente na fragmentação política que tornava frequentes as guerras civis árabes.
Como referenciar: Invasão da Península Ibérica pelos Árabes in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-10 11:21:00]. Disponível na Internet: