inventário (economia)

Todas as unidade económicas necessitam, para o exercício da sua atividade, de um determinado património, ou seja, um conjunto de bens, direitos e obrigações a elas pertencentes numa determinada data, devidamente valorados e utilizados para atingir um determinado objetivo, que é o bom funcionamento da empresa. Cada componente de um dado património, por exemplo as mercadorias, um edifício, uma viatura, etc., denomina-se por elemento patrimonial. No património podemos distinguir duas classes de elementos patrimoniais. Por um lado, os elementos que representam aquilo que se possui ou se tem a receber, que se designa por ativo. Por outro lado, aqueles que representam aquilo que se tem a pagar, que se designa por passivo.
O valor do património (situação líquida, capital próprio ou património líquido) será "a quantia que será preciso dar para o obter", isto é, para receber em troca todo o ativo, ficando ao mesmo tempo com o encargo de pagar todo o passivo. Isto é, corresponde à soma algébrica das duas classes. Representa os valores que pertencem efetivamente ao proprietário da empresa, são os direitos sobre a propriedade.
Neste contexto, o inventário consiste numa relação (lista) dos elementos patrimoniais detidos por uma empresa numa determinada data e com indicação do seu valor monetário. Podem ser apontadas quatro fases para a elaboração do inventário: arrolamento/listagem (identificação e listagem dos elementos patrimoniais constituintes do patrimoniais da empresa); classificação (os elementos com características comuns ou semelhantes são agrupados em contas); descrição (indicação dos elementos patrimoniais integrantes de cada conta); avaliação (valoração dos elementos patrimoniais em análise). Além disso, podem elaborar-se inventários de vários tipos, de acordo com o critério que for utilizado: quanto ao âmbito, os inventários podem ser gerais, quando abarcam todos os valores do património, ou parciais no caso de figurarem apenas alguns valores; quanto à disposição, podem ser simples, se os elementos estiverem dispostos sem obedecer a qualquer ordem, ou classificados se os elementos estiverem agrupados por ordens; quanto à apresentação, os inventários poderão ser analíticos, quando para além do título da conta são apresentados todos os elementos que a integram, ou sintéticos, quando apenas aparecem as contas com o respetivo título e valor.
O inventário deve ser elaborado em folha própria e surge com disposição vertical.

Como referenciar: inventário (economia) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-23 18:54:12]. Disponível na Internet: