investigação qualitativa

Não tendo sido utilizada nas Ciências Sociais até final dos anos 60 do século XX, a expressão 'investigação qualitativa' surge como um termo genérico que agrupa diversas estratégias de investigação com características específicas.
No seio das Ciências Sociais e utilizada no vasto campo desenvolvido pela Antropologia, a tradição de pesquisa qualitativa faz com esta seja denominada de investigação etnográfica, adotando a Etnografia estratégias específicas, uma vez que representa um corpus de ciências imbricadas umas nas outras.
Tomando como ponto de partida as sociedades como um corpo, cujos elementos se articulam no tempo e no espaço, a Etnografia utiliza métodos intensivos de recolha de informação, tais com a observação participante, com base numa participação ativa por parte dos investigadores ao longo de todo o 'trabalho de campo', e a realização de 'entrevistas' de índole diversa, o que permite uma certa flexibilidade, na medida em que um conjunto de tópicos poderá ser utilizado como orientador da ação.
Com base nesta metodologia, o investigador deverá proceder a uma articulação entre local/ /global, inserindo o objeto de estudo no contexto envolvente, uma vez que - salienta Boas (1940, Some problems of methodology in the social sciences. In Race, language and culture. Chicago: The University of Chicago Press) - o indivíduo pode ser compreendido unicamente como sendo parte integrante da sociedade a que pertence, ao mesmo tempo que essa sociedade só pode ser compreendida a partir das inter-relações existentes entre esses mesmos indivíduos.
Como referenciar: investigação qualitativa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 21:13:54]. Disponível na Internet: