isolador

Um isolador, em sentido lato, é a designação que se atribui a um corpo não condutor de eletricidade. Na prática não existe nenhum isolador absoluto, mas apenas substâncias dotadas de uma elevada resistência à condução elétrica (resistividade da ordem de 1010 a 1018 ohm por centímetro).
O ar, a porcelana, o vidro, o plástico e a borracha são alguns exemplos de bons isoladores.
Em sentido restrito, um isolador consiste numa peça realizada com um material isolante e que se utiliza como elemento de fixação ou suporte de um corpo metálico condutor de eletricidade, em geral cabos ou barras. A dimensão e a forma dos isoladores são determinadas principalmente pela tensão de trabalho do condutor e, em instalações exteriores, pelas exigências adicionais motivadas pela chuva, neve ou gelo. Para as linhas telegráficas e de baixa tensão é suficiente utilizar os isoladores denominados de campânula; para tensões mais elevadas, utiliza-se ainda este tipo de isoladores mas constituído por várias campânulas.
Nas linhas de alta tensão utilizam-se cadeias de isoladores, onde aquelas se encontram suspensas (isoladores de suspensão ou cadeia) ou ainda isoladores de haste, que, graças aos seus rebordos múltiplos, impedem o saltar da faísca. Além das suas propriedades especificamente isolantes, devem possuir uma resistência mecânica suficiente para suportar os tirantes da linha.
Como referenciar: Porto Editora – isolador na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-16 21:15:08]. Disponível em