Já Não Há Salomão

"Já não há Salomão, já o filho de Betsabé não julga nem decide... Sobre os êxtases e as maravilhas do Cântico dos Cânticos caiu a sombra do Ecclesiastes: tudo é inútil. Mas os homens continuam a viver, a sua vocação é uma vocação de felicidade..." (do prefácio de José Saramago, Lisboa, 1966). Trata-se de uma pequena novela de Natal que evoca a história da senhora Miriam, a quem a tutoria tirara a filha para entregar ao pai. Com a aproximação do Natal, a dolorosa mãe pede à filha que lhe dê uma das suas tranças: ficaria uma para a família do pai e outra para ela, e assim se cumpriria a justiça de Salomão. Porém, as tranças tinham ficado no chão do cabeleireiro. O desgosto da mãe apressará a sua morte. A história é contada, num discurso narrativo com marcas de oralidade, pela voz da estalajadeira, que mostra o quarto de Miriam à nova hóspede.
Como referenciar: Já Não Há Salomão in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-01 19:40:52]. Disponível na Internet: