jacobinismo

O jacobinismo diz respeito às doutrinas e ideias dos jacobinos (do francês jacobin) da Revolução Francesa e dos democratas radicais, simpatizantes dos seus princípios.
O historiador François Furet, autor de Penser la Révolution Française (1978), considera que o jacobinismo se estruturou nas "sociedade de pensamento" e que o seu objetivo era manter a nação purificada dos seus inimigos, com cidadãos iguais e virtuosos. Daí a trilogia da Revolução Francesa de liberdade, igualdade e fraternidade. Jules Michelet, por seu turno, considera que se muitos jacobinos se julgavam "guardas da democracia", outros eram radicais por temperamento. Este historiador, ao analisar o jacobinismo, estabelece três momentos da sua formação: o jacobinismo original (1789-1791), parlamentar e nobiliárquico; o jacobinismo misto (1791-93), aberto aos jornalistas republicanos; e o jacobinismo extremista (1793-94) com defensores da "Virtude pelo Terror" para purgar a sociedade e implantar a virtude.
Os termos jacobino e jacobinismo adquirem, entretanto, uma carga pejorativa quando surgem na aceção de republicanismo revolucionário levado ao extremo. Foi isso que sucedeu com a política de terror, cujas principais figuras foram Robespierre, Georges Danton, Saint-Just e Georges Couthon.
Como referenciar: jacobinismo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-01-17 01:14:42]. Disponível na Internet: