Jaime Salazar Sampaio

Poeta, ficcionista e autor dramático nascido a 5 de maio de 1925, em Lisboa, e licenciado em Engenharia. Tradutor de Beckett, Harold Pinter, Artur Miller e Michel Deutsch, é autor de várias obras críticas de divulgação da estética pessoana. Na ficção, é autor de duas obras onde o inconformismo da escrita assume contornos intermédios entre a inspiração surrealizante e a simplicidade da literatura infantil, e de quatro livros de poesia inscritos na década de 50, onde colige poemas relativamente breves, de grande rigor prosódico, e que tematizam o confronto entre um tempo e um espaço perdidos e um presente que releva da incompletude e da frustração ("abrimos portas que davam para o mar / e em vez do mergulho pedimos desculpa", de O Silêncio de um Homem), numa escrita que se distingue, como na prosa, pela rutura com expressões feitas e com tudo o que no verso seja redundante, aproximando-se, assim, de uma rara e difícil simplicidade ("de um homem fica / e por pouco tempo / certa maneira de olhar o mundo // (...) baloiçando as pernas."). Mas é sobretudo como autor dramático que Jorge Salazar Sampaio se consagrou, sendo autor dos mais conseguidos textos da dramaturgia pós-beckettiana, sucesso aliás comprovado pelo facto de a quase totalidade das suas peças ter sido representada.
Como referenciar: Jaime Salazar Sampaio in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-03-19 23:37:29]. Disponível na Internet: