James Chadwick

Físico britânico, nascido em 1891 e falecido em 1974, dedicou-se ao estudo da Física Nuclear e, em especial, ao estudo da carga dos núcleos e da desintegração artificial de elementos por partículas alfa. Em 1932, descobriu o neutrão, o que lhe valeu a atribuição do Prémio Nobel da Física em 1935.
Encontrava-se em Berlim, a trabalhar com Geiger, quando rebentou a Primeira Guerra Mundial. Considerado inimigo, foi mantido em residência fixa e obrigado a viver num estábulo. Mesmo assim, não abandonou os trabalhos científicos, tendo investigado a ionização que ocorre durante a oxidação do fósforo e as reações fotoquímicas entre o cloro e o monóxido de carbono.
No fim da guerra foi trabalhar com Rutherford, tendo determinado o número atómico de alguns elementos e estabelecido a relação entre o número atómico e a carga do átomo. Também com Rutherford, produziu a desintegração de elementos leves, o que o levou à descoberta do neutrão. O conhecimento da existência do neutrão permitiu aprofundar o conhecimento da matéria, explicando, por exemplo, a existência de isótopos. Durante a Segunda Guerra Mundial, dirigiu a delegação britânica em Los Álamos.
Como referenciar: James Chadwick in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-01-16 05:28:03]. Disponível na Internet: