James Hutton

Químico, naturalista e geólogo britânico, considerado mesmo um dos fundadores da geologia, nasceu a 3 de junho de 1726, em Edimburgo, e faleceu a 26 de março de 1797, no mesmo local. Concluiu os estudos secundários naquela cidade escocesa, tendo, de seguida, ingressado na Universidade de Edimburgo para estudar Direito - a despeito da área do seu maior interesse ser a Química. Desistiu da carreira jurídica e acabou por licenciar-se em Medicina, em 1749.
Criador e defensor da Escola Plutonista, defendeu na sua obra, editada em dois volumes, Teoria da Terra (1795) que o magma era o formador das rochas, embora admitisse a intervenção da água na sua formação. Estudou as discordâncias angulares e reportou-lhes interesse geológico. Admitia a impossibilidade de serem encontrados vestígios de rochas correspondentes ao início da história da Terra, atendendo a que as rochas mais antigas teriam derivado de outras ainda mais antigas que, entretanto, tinham sido destruídas por erosão. Reconheceu a ação dos processos naturais na modelação da superfície terrestre tais como a erosão, a deposição e a atividade vulcânica. Para o revolucionário Hutton, a composição das rochas do planeta eram uma prova de que a Terra existiria há muito mais tempo do que o relatado na Bíblia.
Foi um dos principais impulsionadores do uniformitarismo, segundo o qual a formação de qualquer rocha se pode explicar a partir dos processos que ainda hoje ocorrem, sendo que qualquer alteração geológica é lenta e gradual. Este princípio constituiu, aliás, uma das bases fundamentais da geologia: "...desde o topo da montanha até à praia tudo está em constante alteração (...) A superfície da Terra deteriora-se em determinado local mas reconstrói-se noutro".
Como referenciar: Porto Editora – James Hutton na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-21 09:16:36]. Disponível em