Artigos de apoio

James K. Baxter
Escritor e poeta neo-zelandês, James Keir Baxter nasceu a 29 de junho de 1926, em Dunedin. Filho de um agricultor escocês, que havia publicado um manifesto pacifista depois da Primeira Grande Guerra, e neto materno de um professor universitário proeminente, viveu a sua infância em Kuri Bush, a Sul de Brighton. Foi educado em escolas Quaker na Nova Zelândia e na Inglaterra, onde passou cerca de dois anos na década de 30.
Começou a escrever poesia muito precocemente, com apenas sete anos de idade. Ganhou reputação como poeta com a publicação de Beyond The Palissade (1944), quando contava ainda dezoito anos. A sua segunda obra apareceu dois anos mais tarde, com o título Blow, Wind Of Fruitfulness (1946).
Por esta altura, recorreu a trabalhos precários para prover ao seu próprio sustento e interessou-se pela psicologia jungiana. Em 1944 ingressou na Universidade de Otango, na sua Dunedin natal. Casou em 1948 com Cecília Sturm, uma mulher de etnia maori, e converteu-se ao Anglicanismo.
Mudou-se com a família para Wellington, onde se viu forçado a trabalhar num matadouro e como carteiro, antes de poder ingressar na Escola Normal. Recebeu o seu diploma da Universidade de Victoria em 1956, passando então a colaborar com a Secção de Publicações Escolares do Departamento da Educação neo-zelandês. Entre 1954 e 1960 editou a revista Numbers sediada em Wellignton.
Sofrendo há vários anos de alcoolismo, aderiu no final do ano de 1954 aos Alcoólicos Anónimos. Em 1958 converteu-se ao Catolicismo e deixou-se batizar novamente, decisão que refletiu na obra In Fires No Return (1958). Nos finais da década de 50 foi enviado à Índia no âmbito da UNESCO. Fundou, em 1960, uma comunidade religiosa, de nome Jerusalém, nas margens do rio Wanganui, cujo objetivo era a defesa da cultura do povo maori e a sua integração através do cristianismo, que considerava a única via possível para combater o materialismo dos tempos modernos.
Em 1966 foi-lhe atribuída uma bolsa pela Universidade de Otago, o que estabilizou, de certa maneira, a sua vida. Descrevendo as suas experiências de vida na Jerusalém neo-zelandesa, publicou Jerusalem Sonnets (1970), e Jerusalem Daybook (1971). Escreveu também algumas peças de teatro, como The Band Rotunda (1967), The Sore-Footed Man (1967) e The Temptation Of Oedipus (1970) e cerca de três dezenas de livros de poesia.
Faleceu, vítima de uma trombose, em Auckland, a 22 de outubro de 1972.
Como referenciar: James K. Baxter in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-08-17 12:46:10]. Disponível na Internet: