Janet Jackson

Cantora pop norte-americana, Janet Damita Jackson nasceu a 16 de maio de 1966, em Gary, Indiana, nos Estados Unidos da América. Oriunda de uma das famílias musicais mais conhecidas do Mundo, Janet foi a mais nova das nove crianças da família Jackson. Começou a atuar ainda criança, nas primeiras partes dos espetáculos dos Jackson 5, mas tornou-se conhecida do grande público pela sua participação nas séries televisivas norte-americanas Good Times, Diff'rent Strokes e Fame. Aos 16 anos, foi orientada para a carreira musical pelo seu pai.
Lançou o álbum homónimo de estreia em 1982 e dois anos mais tarde casou-se com James Debarge, líder do grupo R&B Debarge. O segundo álbum, Dreamstreet (1984), redundou num fracasso, assim como o seu casamento.
Em 1986, regressou com um novo empresário, o amigo de seu pai, John McClain, novos produtores, Jimmy Jam e Terry Lewis, e uma nova imagem, em que a dança desempenhava um papel primordial. Gravou o single "What Have You Done For Me Lately", com o qual atingiu o top 5. Seguiu-se o álbum Control, que vendeu mais de 5 milhões de cópias em todo o Mundo e chegou ao primeiro lugar das tabelas pop e R&B. Deste trabalho fizeram ainda parte os temas "When I Think of You" e "Nasty". O ano de 1989 viu sair Rhythm Nation 1814, outro êxito colossal de vendas, do qual fizeram parte "Miss You Much", "Escapada", "Black Cat" e o tema-título. Com este disco, Janet Jackson tornou-se na primeira artista a conseguir que sete canções do mesmo álbum tivessem figurado, sucessivamente, nos cinco primeiros lugares das tabelas de vendas de singles. Vendeu mais de seis milhões de unidades. A cantora realizou a primeira digressão da sua carreira, conhecendo um sucesso estrondoso, como seria de esperar pelos resultados dos discos. Em 1991, assinou um contrato para dois álbuns com a editora Virgin Records. No ano seguinte gravou "The Best Things In Life Are Free", em dueto com Luther Vandross, tema que chegou a número um. Ainda nesse ano, a cantora participou no filme Poetic Justice, ao lado do rapper Tupac Shakur.
O primeiro álbum para a Virgin, intitulado Janet (1993), constituiu uma aposta na exploração de uma imagem mais sexy e originou os singles "If" e "That's The Way Love Goes". O segundo acabou por ser o single de maior sucesso da cantora até então, permanecendo durante oito semanas na liderança das tabelas de vendas. O álbum vendeu cerca de 7 milhões de cópias. Em 1995, cantou ao lado do irmão, Michael, o tema "Scream", galardoado com um prémio Grammy. No mesmo ano editou Design of a Decade, o conjunto dos seus maiores êxitos, na editora A&M, também com "That's The Way Love Goes", já gravado na Virgin, e alguns temas novos, por exemplo, "Runaway".
Em 1997, lançou The Velvet Rope, um trabalho mais pessoal e intimista, na ressaca de alguns problemas emocionais da cantora. Em simultâneo, o disco mesclava temas de consciência social em relação à violência doméstica, a SIDA e a homofobia e, também, algumas canções com uma conotação sexual forte. Os críticos ficaram divididos, uns aplaudindo a ambição da cantora, outros desconsiderando o seu trabalho. As faixas mais populares deste trabalho foram "Together Again", uma elegia em prol das vítimas da SIDA, "Got'Til It's Gone", com o rapper Q-Tip, e "I Get Lonely". Todavia, o disco acabou por não estar à altura dos seus antecessores, registando vendas de cerca de 3 milhões de cópias.
A cantora voltou a partir em tournée pelo mundo, mantendo-se nas tabelas num dueto com Busta Rhymes em "What's It Gonna Be?". A carreira cinematográfica conheceu também uma nova etapa. A cantora integrou o elenco de Nutty Professor II :The Klumps (2000), com Eddie Murphy. A sua contribuição para a banda sonora do filme, o single "Doesn't Really Matter", chegou ao primeiro lugar do top. Ainda nesse ano, a cantora enfrentou um divórcio litigioso, dando azo a uma batalha jurídica pelos rendimentos da música de Janet, com o seu ex-marido, o coreógrafo René Elizondo.
Em 2001, Janet Jackson regressou com All For You, dando continuidade à sensualidade de outros tempos. A aposta na sua imagem de símbolo sexual contribuiu para a entrada direta do álbum para o primeiro lugar da tabela de vendas nos EUA e para as 600 mil cópias vendidas apenas na semana de lançamento.
Em 2004, a cantora viu-se envolvida num escândalo mediático de grandes proporções. A atuação da cantora no intervalo da final do campeonato de futebol americano, o famoso Superbowl, em dueto com Justin Timberlake, ficou marcada, num momento cuja motivação permanece duvidosa, por um gesto do cantor que, no final de uma canção, despiu um dos seios de Janet, em plena transmissão em direto para os EUA e quase todo o Mundo. Nos dias seguintes, Justin e Janet desdobraram-se em pedidos de desculpas públicos, sublinhando a natureza irrefletida e não premeditada do ato mas o acontecimento não foi esquecido e motivou a transmissão de alguns eventos importantes, tal como a cerimónia de entrega dos óscares desse ano, com um atraso de cinco segundos, para prevenir situações semelhantes.
Esta situação não coibiu a cantora de lançar, ainda nesse ano, o álbum Damita Jo, onde explora declaradamente a sua imagem sexy, destacada na capa do disco com uma foto plena de sensualidade.
Como referenciar: Janet Jackson in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-20 10:48:47]. Disponível na Internet: