Jardim de Pedra em Ryoah-ji

A sua construção data do século XVI sendo a obra da autoria de um senhor chamado So-Ami (falecido em 1525).
A família Ami era um dos mais influentes clãs de artistas medievais japoneses, transmitida do avô No-Ami (1397-1471) ao seu filho Gei-Ami (1431-1485) que depois foi sucedido pelo neto So-Ami (falecido em 1525).
Estes três artistas foram os pintores oficiais, encarregues de compilar o catálogo da coleção de pintura de três xóguns, o que na mais conhecida edição ocidental, em inglês, se chama Notebook of the Shogun's art secretary.
So-Ami, o neto do patriarca da família, era muito talentoso e influente, trabalhando sobretudo em pintura paisagista, mas desempenhando também a função de crítico de arte. Este artista foi também importante na difusão do ritual da cerimónia do chá e das suas artes. Da sua autoria são as portas de Daisen-in em Daitoku (em Quioto) e o Jardim de Pedras da mesma cidade. Aqui produziu uma composição naturalista, conseguida através da disposição de um conjunto de pedras sobre um manto de areia, de forma a sugerir uma ilha no meio do oceano.
Esta arte do desenho dos jardins inventada pelos chineses foi importada pelos japoneses, que a difundiram, nomeadamente nas escolas de pintura paisagista, inspiradas na filosofia Zen.
Como referenciar: Jardim de Pedra em Ryoah-ji in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-12-03 04:21:51]. Disponível na Internet: