Jean-Auguste Dominique Ingres

Pintor francês, Jean-Auguste-Dominique Ingres nasceu a 29 de outubro de 1780, em Montauban, e veio a falecer em 1867, em Paris. Estudou desenho em Toulouse e em Paris, no atelier de David. Os retratos da família Rivière são já uma obra de cunho pessoal, embora revelando a admiração por Michelangelo Buonarroti e Ticiano. Residiu durante dezoito anos em Itália e com o sucesso de Voto de Luís XIII (1824) regressou a Paris. Defendeu o classicismo frente aos românticos, embora o exotismo de A Grande Odalisca (1814), pintado ainda em Itália, se possa considerar já de cunho romântico. Estas contradições eram já aparentes em A Banhista (1808), onde o tema clássico é tratado através de uma linha sinuosa e de tons de uma sensualidade cálida e pouco ortodoxa. Alimenta fortes inimizades, o que o leva de volta a Itália (1835-1841), tornando-se diretor da Academia de França, em Roma. Adquiriu entretanto um estatuto de mestre incontestado e, depois de se estabelecer novamente em França, sintetiza no Banho Turco (1859-63) a procura da beleza intemporal.
Como referenciar: Jean-Auguste Dominique Ingres in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-17 05:58:05]. Disponível na Internet: